NotíciasResumo de notícias
0

Principais Notícias da Semana (31/12/2020 a 06/01/2021)

Noticias Agropecuária

Veja as principais noticias da semana no mundo Agro.

Gerais

De acordo com a USDA safra mundial de soja deve crescer 7,6%De acordo com a USDA safra mundial de soja deve crescer 7,6%

 Conforme projeção do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) a safra mundial de soja deve crescer 7,6% e atingir cerca de 362,1 milhões de toneladas.

O Brasil continua sendo o maior produtor de soja do mundo e deve colher cerca de 133 milhões de toneladas de soja nessa safra. Os EUA, segundo maior produtor da oleaginosa, projeta uma safra de 113,5 milhões de toneladas, alta de 17,4%. Como terceiro e quarto maior produtor vem a Argentina (projeção de 50 milhões de toneladas) e a China (projeção de 17,5 milhões de toneladas), respectivamente.

De acordo com a USDA o consumo de soja deve ser de cerca de 369,7 milhões de toneladas. Com uma estimativa de que as exportações atinjam cerca de 168,5 milhões de toneladas, acréscimo de 2,4% em comparação com a safra de 2019/20.

No Brasil, os maiores estados produtores são Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso do Sul. Estes estados juntos devem colher cerca de 95,81 milhões de toneladas de soja nesta safra.

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/safra-mundial-de-soja-vai-crescer-7-6-_444332.html

Semeadura de algodão deve ser 10,6% menor em Mato Grosso na safra 2020/21

As estimativas projetam que o estado do Mato Grosso, maior produtor de algodão do país, deve semear cerca de 1,01 milhão de hectares de algodão na safra 2020/21, redução de 10,6% na área quando comparada com a safra 2019/20.

Devido às incertezas de mercado causadas pela pandemia da Covid-19 os preços do algodão caíram no primeiro semestre 2020, fazendo com que os produtores reduzissem as áreas cultivadas com a cultura. No entanto, no segundo semestre os preços subiram 14,7% em comparação com o ano de 2019 alavancados pela alta do dólar, fechando o ano de 2020 com uma média de R$ 95,68 a arroba.

Além da redução na área cultivada a tendência é de que a produtividade caia 7% e a produção de pluma 17% no estado de Mato Grosso. Porém, a demanda por pluma no mercado internacional começa a ganhar força o que pode valorizar o produto.

Ver mais: https://www.canalrural.com.br/agronegocio/plantio-algodao-mato-grosso-menor-2020-21/

Tecnologia digital é o futuro do agronegócio

O agronegócio vem passando por grandes transformações na área digital. E esse é o futuro do setor para se ter um maior controle e eficiência produtiva. O setor é responsável por alimentar a população mundial, e que vem crescendo anualmente. Para que todos tenham uma alimentação digna a produção agropecuária terá que crescer de forma considerável.

Os desafios para o agronegócio são imensos e crescentes seja pela falta de políticas públicas de fomento, linhas de crédito, aquecimento global, contaminação dos corpos hídricos, aumento das áreas degradas por monocultivos e uso intensivo do solo.

Para solucionar esses grandes desafios a utilização de tecnologia é fundamental aliada com o conhecimento técnico dos consultores agropecuários. Seja para o manejo das lavouras, através de drones, no manejo diferenciado da irrigação visando o uso racional da água, utilização de imagens de satélites para o monitoramento das lavouras e o uso eficiente e racional dos recursos (água, solo, sementes e insumos.

O Brasil possui um grande potencial para evoluir o seu agronegócio e a tecnologia irá alavancar tal crescimento. Com a chegada da internet 5G a comunicação e utilização de softwares tende a melhorar e gerar grandes impactos em toda a cadeia produtiva. A evolução do agronegócio já começou, mas ainda está incipiente e tem muito para evoluir com grande potencial para tal.

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/so-com-transformacao-digital-o-campo-pode-produzir-o-necessario_444445.html

125 bilhões de reais já foram contratados em crédito rural nesta safra

Os produtores rurais brasileiros já contrataram R$ 125,3 bilhões em crédito rural entre os meses de julho e dezembro para safra 2020/21, aumento de 18% quando comparado com o mesmo período da safra 2019/20.

Os financiamentos para custeio foram os mais contratados pelos produtores, tendo um incremento de 12% e representando um montante de R$ 67,86 bilhões. Este foi seguido pelo crédito de investimento e de industrialização, com incrementos de 44% (R$ 39,67 bilhões) e 2% (R$ 7,18 bilhões), respectivamente. O crédito de comercialização teve uma redução de 9%, atingindo R$ 10,67 bilhões.

Os recursos para investimento com recursos do BNDES, que são administrados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, foi contratado através do Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras – Moderfrota (R$ 6,66 bilhões); do Programa de Construção e Ampliação de Armazéns -PCA (R$ 1,45 bilhão do); do Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária – Inovagro (R$ 1,43 bilhão); do Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido – Moderinfra (R$ 637 milhões); e do Programa de Modernização da Agricultura e Conservação dos Recursos Naturais -Moderagro (R$ 1,18 bilhão).

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/contratacao-de-credito-rural-alcanca-r–125-bilhoes_444481.html

Demanda incerta de arroz limita investimentos

A área cultiva com arroz na safra 2020/21 não teve crescimento expressivo em função da falta de capital para investimento dos produtores e de incertezas sobre a dinâmica da demanda neste ano.

O beneficiamento e saída de arroz do estado do Rio Grande do Sul teve um incremento de cerca de 30% no mês de agosto de 2020 quando comparado com o mesmo mês de 2019, devido a maior demanda pelo produto em função da pandemia da Covid-19. Já, em novembro de 2020 foi possível observar uma queda, com um incremento de 16,2% quando comparado com novembro de 2019.

De acordo com dados divulgados no mês de dezembro de 2020, pela Conab, a oferta de arroz da safra 2020/21 poderá apresentar uma queda de 2,1% em comparação com a safra 2019/20.

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/incerteza-sobre-arroz-limita-investimentos_444491.html

Lavouras de soja do Paraná começam a ficar prontas para colheita

No estado do Paraná as lavouras de soja apresentaram melhora nesta primeira semana de janeiro e 1% da área cultivada já está pronta para a colheita de acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral).

Segundo o Deral, até o dia 5 deste mês, as lavouras de soja do Paraná apresentaram uma melhora em comparação ao último relatório divulgado em dezembro, e se encontram nas seguintes condições: 79% em boas condições, 17% em médias condições e 3% em condições ruins. Em dezembro as lavouras se encontravam com 77% das áreas em boas condições, 19% em médias e 4% em ruins.

Ver mais: https://www.canalrural.com.br/projeto-soja-brasil/lavouras-de-soja-melhoram-no-parana-e-1-ja-estao-prontas-para-colheita/

Safra de café 2020/21 já apresentou incremento de 6,5% nas exportações

A safra de café 2020/21 apresentou incremento de 6,5% nas exportações mundiais nos dois primeiros meses da safra, que são os meses de outubro e novembro, em relação ao mesmo período da safra 2019/20 segundo a Organização Internacional de Café (OIC).

Os embarques de café já chegaram a 20,20 milhões de sacas. De acordo com a OIC, neste período, o Brasil exportou 4,80 milhões de sacas, incremento de 26,5% em relação ao mesmo período da safra 2019/20.

Ver mais: https://www.canalrural.com.br/sites-e-especiais/cafe-forte/exportacoes-globais-de-cafe-crescem-65-na-safra-2020-21/

Mercado

Governo argentino proíbe exportação de milho até marçoGoverno argentino proíbe exportação de milho até março

O governo argentino através do Ministério da Agricultura anunciou no dia 30/12 a suspensão temporária das exportações de milho da safra 2019/20 até o dia 1º de março de 2021. Segundo o governo argentino a suspensão ocorreu visando garantir o fornecimento doméstico do cereal durante os meses de janeiro e fevereiro, período em que a oferta é escassa no país.

A suspensão é até 1º de março pois a partir deste período começa a ser colhida a safra 2020/21 na Argentina. Contudo, alguns analistas de mercado estão questionando se esta não é uma medida visando um possível aumento do imposto de exportação do milho do país.

De acordo com o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) a Argentina é o terceiro maior produtor de milho do mundo e deverá produzir cerca de 49 milhões de toneladas na safra 2020/21. O país fica atrás dos EUA e do Brasil que deverão produzir cerca de 368 milhões de toneladas e cerca de 110 milhões de toneladas, respectivamente.

O Ministério de Agricultura da Argentina divulgou que até dezembro de 2020 36,02 milhões de toneladas haviam sido exportadas, valor superior ao estimado pelo USDA, que projetava uma exportação de milho argentino em torno de 34 milhões de toneladas. O milho-pipoca está isento a tal proibição.

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/argentina-proibe-exportar-milho-ate-marco_444316.html

 

China suspende importação de carne suína do Brasil

O governo chinês suspendeu a importação de carne suína no final do mês de dezembro de uma unidade da Aurora Alimentos de Chapecó/SC. A suspensão ocorreu pela preocupação com a contaminação pela Covid-19. O Ministério da Agricultura já foi informado pelo governo chinês e já está trabalhando em conjunto com o MAPA e a cooperativa para prestar esclarecimentos e reverter a suspensão. O prazo de suspensão não foi informado.

Devido a pandemia da Covid-19 a China já suspendeu as importações de 11 frigoríficos e uma unidade de pescados do Brasil. Dos 11 frigoríficos as exportações de seis já foram reestabelecidas.

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/china-volta-a-suspender-carne-suina-do-brasil_444450.html

Clima

Maior intensidade do fenômeno La Niña será sentida neste mêsMaior intensidade do fenômeno La Niña será sentida neste mês

O pico de intensidade do fenômeno La Niña ocorrerá neste mês de janeiro. Mas, a Agência de Administração Oceânica e Atmosférica do Estados Unidos (Noaa) continua com a previsão de que o fenômeno apresentará um enfraquecimento gradual no a partir do segundo trimestre de 2021.

O fenômeno favorece as chuvas sobre o Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e em especial no Norte. Nestas regiões os efeitos do La Niña serão pronunciados a partir de fevereiro. Na região Sul as estiagens serão potencializadas.

Veja como fica a previsão do tempo para sua região na primeira semana de 2021: https://www.canalrural.com.br/noticias/tempo/la-nina-pico-intensidade-tempo/

Política

Cabotagem é aprovada pela Câmara dos Deputados

O Projeto de Lei 4199/20, do Poder Executivo, foi aprovado pela Câmara dos Deputados. O PL visa a liberação de forma progressiva do uso de navios estrangeiros na navegação de cabotagem, que consiste na navegação entre os portos do mesmo país, ao longo da costa brasileira.

O projeto seguiu para o Senado para a sua apreciação e se for aprovado e sancionado vai possibilitar que as empresas fretem navios vazios para a navegação de cabotagem.

Com o passar dos anos de vigência da lei a utilização dos navios aumentará de forma gradual, sendo que após um ano de vigência poderão ser utilizados dois navios, no segundo ano três navios, no terceiro quatro navios. A partir do quarto ano o número de navios será livre, seguindo as normas de segurança definidas.

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/deputados-liberam-cabotagem-para-navios-estrangeiros_444510.html

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , ,

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

julho 2021
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu