NotíciasResumo de notícias
0

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DA SEMANA (31/07/21 a 06/08/21)

Noticias Agro

Veja as principais notícias da semana no mundo Agro.

Acompanhe na integra as principais notícias do mundo agro no nosso Portal. Fique informado e compartilhe nas suas redes sociais.

GERAIS

Crédito rural bate recorde

No primeiro mês da safra 2021/22, o crédito rural já atingiu R$ 27 bilhões, aumento de 16% em relação à safra passada.

Segundo dados do Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2021/2022, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) teve o melhor desempenho, com 56% de aumento e R$ 6,6 bilhões contratados, dos quais R$ 4,2 bilhões em custeio e R$ 1,8 bilhão em investimento, esse último com crescimento de 61%.

Fonte: Mapa

Seguro agrícola para olerícolas será avaliado pelo Mapa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará no dia 20 de agosto, às 15h, uma videoconferência do projeto Monitor do Seguro Rural, dedicada ao seguro rural de 13 culturas olerícolas.

O objetivo é avaliar e propor aperfeiçoamentos nos produtos e serviços ofertados pelas seguradoras para as culturas de repolho, beterraba, chuchu, pepino, cenoura, berinjela, alface, abóbora, abobrinha, couve-flor, vagem, ervilha e tomate, a fim de aprimorar os seguros com coberturas mais aderentes às necessidades dos produtores.

Fonte: Mapa

Setor das plantas forrageiras movimenta mais de R$ 1,4 bilhão ao ano

A Embrapa Pecuária Sudeste realizou um trabalho de levantamento de informações tecnológicas sobre as cultivares e o mercado de sementes de espécies forrageiras no Brasil.

O levantamento foi feito com base em dados sobre o mercado legal de sementes e mudas de forrageiras e foi publicado com o título de Monitoramento tecnológico de cultivares de forrageiras.

Segundo o levantamento, o Brasil é líder mundial em produção, consumo e exportação de sementes forrageiras, movimentando mais de R$ 1,4 bilhão ao ano. Além disso, as forrageiras também contribuem para a manutenção do país na posição de grande produtor e exportador de carne bovina.

Os autores destacam que a Embrapa é líder mundial na geração de cultivares de forrageiras tropicais. Os capins Brachiaria brizantha cv. Marandu e Panicum maximum cv. Mombaça, desenvolvidos pela Embrapa, corresponderam a cerca de 70% da produção de sementes, considerando as cinco principais forrageiras tropicais cultivadas no país na safra 2018/2019.

Fonte: Embrapa

Receita anual limite para classificação dos produtores rurais é elevada

O aumento da renda limite para a classificação era uma solicitação dos agricultores familiares e já teve sinalização positiva durante o lançamento do Plano Safra.

A partir de agora, a classificação do produtor rural, pessoa física ou jurídica, segue da seguinte forma:

a) pequeno produtor: de até R$ 415.000,00 para até R$ 500.000,00

b) médio produtor: de acima de R$ 415.000,00 até R$ 2.000.000,00 para acima de R$ 500.000,00 até R$ 2.400.000,00;

c) grande produtor: de acima de R$ 2.000.000,00 para acima de R$ 2.400.000,00.

Para o Pronaf, também houve aumentos dos valores. O limite de financiamento por ano agrícola agora é de R$ 165.000,00 até R$ 200.000,00, para aquisição de colheitadeira automotriz usada e de R$ 80.000,00 para R$ 96.000,00 o limite de financiamento por ano agrícola para aquisição de outras máquinas, equipamentos e implementos usados.

Fonte: Mapa

Novo sistema de cadastro para agricultores familiares

O Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF) substituirá a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), que identifica os agricultores familiares, qualifica as Unidades Familiares de Produção Agrária (UFPA) e suas formas associativas organizadas em pessoas jurídicas, possibilitando o acesso às políticas públicas do governo federal.

O início da transição está previsto para dezembro de 2021 e terá um período de dois anos.

Uma importante inovação é que a nova plataforma será integrada às bases de dados do governo federal, o que possibilitará a imediata validação das informações declaradas pelo agricultor.

Fonte: Mapa

PRODUÇÃO

Zoneamento agrícola do feijão caupi para 2021/2022

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), ano-safra 2021/2022, foi publicado no Diário Oficial da União para a cultura do feijão caupi.

O feijão caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp), conhecido também como feijão-de-corda ou feijão macassar, é uma cultura de grande importância socioeconômica, principalmente, para a população do semiárido, onde representa uma das principais fontes de proteína para as famílias, além de fixar mão de obra no campo e gerar emprego.

O déficit hídrico é o principal fator responsável pelas perdas nas lavouras. A cultura exige um mínimo de 300 mm de precipitação ao longo do ciclo. O feijão-caupi tem dois períodos bem definidos com relação à falta d’água: da semeadura à emergência e no florescimento/enchimento de vagens.

Saiba como funciona o Zarc

Fonte: Mapa

SUSTENTABILIDADE

Guia de Recuperação de Solos Degradados no Cerrado foi lançado

O evento de lançamento ocorreu no dia 4 de agosto, e foi promovido pela The Nature Conservancy (TNC) e transmitido no canal da Embrapa no YouTube.

O guia indica alternativas para produção sustentável no Cerrado, que passam por tecnologias para recuperação e manejo de áreas de pastagem que apresentem algum grau de degradação e a adoção de sistemas que integram lavoura, pecuária e floresta.

Para acessar/baixar o guia, clique aqui.

Fonte: Embrapa

TECNOLOGIA

Dispositivos inteligentes monitoram a produtividade e bem-estar animal em sistemas de ILPF

Equipamentos inteligentes, como sensores, colares inteligentes e balança de passagem serão usados para monitorar indicadores de produtividade, ambientais e de bem-estar animal em sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF).

Através de uma parceria firmada entre a Embrapa, a Huawei e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) serão desenvolvidas aplicações tecnológicas para melhorar a gestão e a produção em sistemas de integração.

Fonte: Embrapa

Apresentação de novas startups aceleradas pela Embrapa

Evento no canal da Embrapa, no dia 10/08/2021, irá apresentar as startups aceleradas pelo programa TechStart Agro Digital.

O TechStart Agro Digital é um programa de aceleração de startups com foco em soluções digitais para o agronegócio, desenvolvido em parceria pela Venture Hub e pela Embrapa.

As startups graduadas desenvolveram soluções que abrangem a aplicação de tecnologias digitais para estimativas de produtividade agrícola, gestão e manejo da produção, mapeamento da propriedade com drones, avaliação do imóvel rural e análise do solo.

Startups graduadas

BIOME4ALL Agriculture – Utiliza genética e bioinformática para avaliação da microbiologia do solo, plantas e frutos para, por meio de um sistema, auxiliar na tomada de decisões e aumentar a eficiência e produtividade da lavoura com sustentabilidade.

Busca Terra – Aplica técnicas de big data para compilar, armazenar, padronizar e analisar dados disponíveis na web e aplicá-los na avaliação do imóvel rural.

Dronagro – Atua no mapeamento aéreo com drones para gerar soluções que auxiliam o agricultor na gestão técnica e econômica da empresa rural.

Edroponic – utiliza internet das coisas (IoT) para melhorar a gestão e o manejo, evitando perdas e quebras de produção em hidroponias.

Hortify – Oferece uma plataforma de gestão para o setor de hortifruticultura que gera recomendações ao produtor a partir de algoritmos inteligentes.

Mititech.agro – Por meio de redes neurais e dados de sensoriamento remoto, clima e solos, calibrados com dados de campo, gera dados precisos sobre a produtividade agrícola na propriedade.

As inscrições para o evento podem ser realizadas, clicando aqui.

Fonte: Embrapa

MERCADO

 Indicadores Cepea – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada

Produto Panorama da última semana
Soja Os preços da oleaginosa recuaram. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa – Paranaguá caiu 0,6%, de 23 a 30 de julho, fechando a R$ 168,05/sc de 60 kg no dia 30.

Mas vale lembrar que, apesar da lentidão no spot, já há interesse em negociar contratos a termo da safra 2022/23.

Algodão A média do Indicador em julho foi de R$ 4,985/lp, 2% maior que a de junho/21 e 80,7% acima da de julho/20, em termos nominais. Já em termos reais, a média de julho ficou 37,4% acima da de julho/20. Na média do mês, o Indicador ficou 13,5% acima da paridade de exportação, sendo a menor diferença em três meses.
Milho As cotações do milho continuam em alta no mercado brasileiro. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa subiu 1,41% de 23 a 30 de julho, fechando a R$ 101,40/saca de 60 quilos na sexta-feira (30/07). Alta acumulada de 13,21%.

No Paraná, a Seab/Deral indica baixa de 58% na produção em relação à expectativa inicial. Em Mato Grosso, o Imea aponta queda na produtividade, passando de 106,29 sacas/hectare em janeiro para 93,8 sc/ha em julho, redução de 4 milhões de t em relação à expectativa inicial e de praticamente 3 milhões de t na comparação com o ano anterior.

Etanol O volume de etanol hidratado vendido pelas usinas no mercado spot de São Paulo foi 13% inferior ao de jun/21. Na comparação com jul20, o recuo foi ainda mais expressivo: de 28,4%. Cenário que está atrelado, em algum grau, aos desdobramentos das medidas restritivas impostas pela pandemia de covid-19 no Brasil, com consequência no deslocamento das pessoas.

Dados do Cepea mostram ainda que a queda no volume de etanol hidratado comercializado se deve também à baixa ocorrida na modalidade de contratos: na média dos três primeiros meses do presente ano-safra, relativamente ao mesmo período de 2020, o recuo foi de 39%. Quanto aos preços dos etanóis combustíveis, seguem firmes para o atual momento do ano-safra. Em julho, a média do Indicador CEPEA/ESALQ semanal do hidratado (semanas cheias) foi de R$ 2,9411/litro, alta de 1,32% na comparação com a das semanas de junho. No mesmo comparativo, para o Indicador CEPEA/ESALQ do etanol anidro, considerando somente o mercado spot, houve ajuste positivo de 1,1% entre as médias de junho e julho, a R$ 3,3873/litro

Açúcar  De 26 a 30 de julho, a média do Indicador CEPEA/ESALQ foi de R$ 117,55/saca de 50 kg, avanço de 0,54% em relação à da semana anterior. A média de julho/21 foi de R$ 116,40/saca de 50 kg, pequena variação positiva de 0,03% em relação à de junho/21 e 14,45% superior à de julho/20 – valores deflacionados pelo IGP-DI base junho/20.
Arroz Os preços do arroz em casca subiram em praticamente todos os dias do mês de julho. As valorizações refletiram a presença mais ativa de compradores no mercado e a restrição vendedora, principalmente na segunda metade do período. No entanto, apesar da recuperação dos preços, a média mensal de julho ficou 1,8% abaixo da de junho, a R$ 71,83/sc 50 kg. Em termos nominais, a média de julho/21 foi 11,08% superior à de julho/20, mas, por outro lado, quando se considera o deflacionamento pelo IGP-DI base jun/21, a média de jul/21 é 15,5% inferior à do mesmo período do ano passado e se torna a menor desde mar/20.
Boi As cotações da arroba do boi gordo estão firmes. O Indicador CEPEA/B3 fechou a R$ 316,85, leve baixa de 0,52% na parcial de julho.

No geral, de acordo com pesquisadores do Cepea, os preços da arroba do boi gordo seguem firmes, sustentados pela baixa oferta de animais para abate – reforçada agora pela entressafra – e pelas exportações aquecidas.

Fonte: www.cepea.esalq.usp.br

CLIMA

Baixas temperaturas são riscos para lavouras do Sul e de parte do Sudeste

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) alerta novamente para os riscos de geada que poderão atingir lavouras.

As regiões produtoras que se estendem do Rio Grande do Sul ao sul de São Paulo podem sofrer com as baixas temperaturas. A condição climática adversa pode impactar, principalmente, o desenvolvimento de milho 2ª safra e do trigo em estádios mais avançados.

Os dados completos estão na nova edição do Monitoramento de Geada – Safra 2020/21. Mais informações também estarão nos Boletins de Safra e no Boletim de Monitoramento Agrícola da Conab.

Fonte: Conab

Previsão de chuva para os próximos dias

De acordo com o modelo numérico do INMET, os acumulados de chuvas deverão ser mais significativos em parte os acumulados de chuvas deverão ser mais significativos ao noroeste da Região Norte do Brasil.

Região Previsão
Sul e

Sudeste

Não há previsão de chuva.
Nordeste Não há previsão de chuva. Há possibilidade de acumulados inferiores a 5 mm no recôncavo Baiano.
Centro-Oeste Não há previsão de chuva.
Norte Os maiores acumulados de chuva concentram-se ao noroeste do Pará, do Amazonas e na área leste de Roraima, com valores estimados inferiores aos 20 mm.
MATOPIBA Não há previsão de chuva.

*Informativo Meteorológico Semanal N° 30 (previsão de 03 a 18 de agosto de 2021).

Veja a previsão de chuva para a sua região clicando aqui.

 

 

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu