NotíciasResumo de notícias
0

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DA SEMANA – 26/11 a 03/12

  • Gerais

                                            

Setor agropecuário dobrou no Brasil através de tecnologia e inovação

            O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançaram nesta última terça-feira (1º) o livro intitulado “Uma Jornada Pelos Contrastes do Brasil: Cem anos do Censo Agropecuário”.

No livro, ao longo dos seus 28 capítulos, é possível observar a evolução da agropecuária brasileira. Através da realização dos censos agropecuários foi possível mapear a evolução da agricultura no Brasil através da adoção de novas tecnologias e evolução, transformando o Brasil de importador para um dos principais países produtores de alimento do mundo.

É possível verificar que a agropecuária cresceu de forma constante nos últimos 47 anos, com uma média de crescimento de 3,22% ao ano. Entre os anos de 2006 a 2017, os censos demonstram um crescimento de aproximadamente 4,3%, ficando a frente de países como Estados Unidos (1,9%), China (3,3%), Chile (3,1%) e Argentina (2,7%), sendo que o valor bruto da produção dobrou nesses últimos 22 anos (1995-2017). A tecnologia é responsável por 60% desse crescimento. O livro trás também a evolução do sistema plantio direto no país e a sua contribuição para a sustentabilidade da agricultura brasileira. As áreas que adotaram o sistema cresceram 84,9% nesses últimos 22 anos.

Ver mais: https://agronewsbrazil.com.br/com-tecnologia-e-inovacao-producao-agropecuaria-dobrou-no-brasil-nestes-22-anos/

Acesso o livro: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=37147

 

Nova nuvem de gafanhotos está próxima ao Brasil

             A presença de uma nova nuvem de gafanhotos foi relatada nas cidades de Campo Viera e Itacaruaré, na província de Misiones na Argentina, divisa com o Brasil. Contudo, de acordo com técnicos do país vizinho, esta espécie de gafanhoto não é a mesma que se aproximou do Brasil no mês julho. Esta é conhecida como tucura e não possui o hábito de se locomover a grandes distâncias, diminuindo os riscos de entrada no Brasil.

Os insetos seguem sendo monitorados pelo Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar da Argentina (Senasa) e o órgão pede que os agricultores observem a presença dos insetos e que comuniquem a Senasa.

 

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/nova-nuvem-de-gafanhotos-se-aproxima-do-brasil_443057.html

 

O Agronegócio responde por 21% da movimentação dos portos brasileiros

             A Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) divulgou no dia 23/11/2020 o seu boletim informativo, com base nos dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) até o 3º trimestre de 2020. Os dados demonstram um crescimento da movimentação de cargas com produtos agropecuários de 5%, passando de 16% em 2019 para 21% em 2020.

Neste ano os portos brasileiros movimentaram 850 milhões de toneladas, volume 3,5% maior quando comparado com o mesmo período do ano passado. O setor portuário registrou, com dados até o mês passado, US$ 85,8 bilhões em exportações e US$ 10,4 bilhões em importações, resultando em um superávit de US$ 75,5 bilhões. Os dois principais produtos do setor agropecuário com maior valor acumulado nas movimentações portuárias são a soja e as carnes, com 39,2% e 16,4% do total, respectivamente.

 

Ver mais: https://www.conab.gov.br/ultimas-noticias/3717-produtos-agropecuarios-respondem-por-21-da-movimentacao-dos-portos-brasileiros

 

Sementes enviadas da China contêm pragas inexistentes no Brasil

             Após diversas residências de todos os estados do Brasil receberem sementes, sem ter solicitado, oriundas da China, levantou-se diversas teorias como bioterrorismo e Brushing. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) analisou até o momento 36 amostras e os resultados demonstram que há a presença de diversas pragas presentes nas sementes e algumas inexistentes no país.

As análises realizadas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Goiás (LFDA-GO) demonstram que 47% das amostras apresentam risco fitossanitário. Foram identificadas espécies como: Myosoton aquaticum e Descurainia sophia. Myosoton aquaticum é considerada uma praga quarentenária que não existe no Brasil, e que poderia representar um risco ao setor agropecuário brasileiro causando danos fitossanitários. Esta espécie é considerada como daninha nos cultivos de trigo na China. Já a Descurainia sophia é uma espécie daninha nos Estados Unidos e Canadá, e considerada invasora no México, Japão, Coreia, Chile e Austrália.

Foram encontradas sementes de Cuscuta, Brassica, Chenopodium, Amaranthus, e fungos como o Cladosporium, Alternaria, Fusarium e Bipolaris. Todas estas consideradas espécies quarentenárias ou com potencial quarentenário.

O MAPA mantém as orientações de que caso alguém receba amostras de sementes em casa, sem ter solicitado que não abra e entre em contato com o Ministério ou com órgãos estaduais de defesa.

 

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/sementes-misteriosas-contem-pragas-que-nao-existem-no-brasil_442896.html

https://www.grupocultivar.com.br/noticias/analise-do-mapa-mostra-que-sementes-recebidas-por-brasileiros-contem-pragas-que-nao-existem-no-pais

https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2020/10/06/o-que-e-brushing-e-o-que-ele-tem-a-ver-com-o-envio-de-sementes-asiaticas.htm

 

Ressemeadura de soja chega a 2,5% no Mato Grosso

             A semeadura da soja está na reta final no estado do Mato Grosso, maior produtor da oleaginosa. Faltando apenas 0,35% das áreas para serem semeadas no estado. Em algumas regiões do estado houve a necessidade de ressemear algumas áreas.

A semeadura iniciou de forma atrasada neste ano devido a baixa umidade no solo, impactando em uma necessidade de ressemeadura média no estado de 2,5%, acarretando um maior custo para a implantação da lavoura para os agricultores.

A região oeste do Estado é a mais afetada, tendo como estimativa de ressemeadura, uma área de 5,75%. O oeste do estado Matogrossense foi o mais afetado, pois a semeadura na região foi antecipada, em relação as demais regiões do Estado. Esta região é considerada uma grande produtora de algodão, e diante de tal fato, a semeadura da soja foi antecipada para auxiliar na janela de produção do algodoeiro.

 

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/ressemeadura-de-soja-chega-a-2-5–no-mt_443101.html

 

Safra de milho 2020/21 deve ter um incremento de 5%

             Mesmo com uma redução na estimativa de produção de 27,76 milhões de toneladas para 27,33 milhões de toneladas, a safra de milho 2020/21 terá um aumento de aproximadamente 5% quando comparada com a safra de 2019/20, que produziu 26,15 milhões de toneladas. Mesmo com as perdas pela estiagem registradas no país.

Este incremento na produção está relacionado com o aumento da área cultivada neste ano. As estimativas projetam uma área ocupada pela cultura do milho de 4,43 milhões de hectares na primeira safra e 15,34 milhões de hectares na segunda safra.

O milho segunda safra mantém as estimativas de incremento de 8% na produção do cereal nesta safra 2020/21, quando comparada com a safra anterior, passando de 80 milhões de toneladas produzidas em 2019/20 para 86,71 milhões de toneladas em 2020/21.

As duas safras juntas, chegam a uma estimativa de 19,77 milhões de hectares cultivados, e com uma produção de 114,04 milhões de toneladas. Estas estimativas demonstram um incremento de 4% na área cultivada e 7% na produção quando comparamos a safra de 2020/21 com a safra 2019/20.

 

Ver mais: https://www.canalrural.com.br/noticias/agricultura/milho/milho-safra-20-21-deve-registrar-producao-5-maior-com-273-mi-de-toneladas/

 

  • Clima

 

Milho segunda safra deve ser afetado pelo Lã Niña no Centro-Oeste

       O fenômeno Lã Niña vem causando prejuízos em diversas regiões do país, com a ocorrência de estiagens. O estado mais atingido neste momento é o Rio Grande do Sul, com perdas significativas nas culturas. As previsões indicam que o fenômeno deve começar a perder força no início do próximo ano.

No Centro-Oeste, devido as precipitações irregulares e as altas temperaturas, ocorreu um atraso na semeadura da cultura da soja, o que irá afetar a semeadura do milho de segunda safra na região.

Devido a este atraso, o milho segunda safra pode entrar no outono. Aumentando assim, os riscos com estiagens, características desta estação na região, e com o risco de ocorrência de geadas no mês de maio, principalmente, para os estados do Paraná e do Mato Grosso do Sul.

 

Ver mais: https://www.canalrural.com.br/programas/informacao/mercado-e-cia/no-centro-oeste-la-nina-deve-afetar-milho-segunda-safra-entenda/

 

Quebra na safra de soja deve ser registrada em Mato Grosso

De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) devido aos baixos volumes e irregularidades nas chuvas registrados no estado do Mato Grosso, juntamente com a escolha dos produtores por cultivares de soja super precoces, o potencial produtivo da cultura está reduzindo.

Com isso, o Imea refez as suas estimativas de produtividade para o estado. Devido a estes fatores a estimativa de produtividade reduziu 1,06%, passando de 58,03 sacas por hectares, estimativa realizada em novembro, para 57,41 sacas por hectare. Esta nova estimativa é 1,68 sacas menor do que a média colhida na safra passada (2019/20) que foi de 59,09 sacas por hectare.

 

Ver mais: https://www.canalrural.com.br/projeto-soja-brasil/mato-grosso-deve-ter-quebra-na-safra-de-soja-por-causa-do-clima-diz-imea/

 

  • Mercado

 

Falta de matéria-prima pode afetar a compra de máquinas e implementos agrícolas

         Diversos segmentos foram afetados pela pandemia do coronavírus, e não foi diferente no setor de produção de máquinas e implementos agrícolas. O setor vem tendo dificuldades no fornecimento de matéria-prima, mercadorias e insumos.

Um fator que está influenciando na produção de máquinas e implementos é a forte retomada do setor agrícola nesse segundo semestre. O segmento aponta outras razões como a alta da moeda americana, pela diminuição dos funcionários nas fábricas devido à pandemia, aumento das exportações e normalização da demanda nos países em que a doença se encontra mais controlada. Desta forma, para que os agricultores não tenham surpresas no momento da aquisição de máquinas e implementos agrícolas, em especial no tempo de entrega, é fundamental que haja um planejamento prévio para que sua produção não seja afetada.

 

Ver mais: https://www.grupocultivar.com.br/noticias/devido-a-falta-de-materia-prima-produtor-deve-estar-atento-a-compra-de-maquinas-e-implementos

 

  • Política

 

Conheça o novo presidente da Frente Parlamentar Agropecuária

A Frente Parlamentar Agropecuária elegeu o novo presidente para o biênio 2021/22, é o deputado federal Sérgio Souza (DEM/PR). O deputado substituirá o deputado Alceu Moreira (MDB/RS).

Atualmente Sérgio Souza é vice-presidente da bancada ruralista no Congresso, que é composta por 200 parlamentares. Sérgio Souza é conhecido pelo combate a corrupção e ao incentivo à agricultura e pecuária. O presidente eleito tem como prioridade para o agro nos próximos dois anos aumentar a segurança jurídica ligada aos processos de produção e estabelecer a real imagem do setor agrícola perante o Brasil e aos demais países do mundo. Para alcançar esses objetivos o deputado acredita no incentivo ao cooperativismo.

Ver mais: https://www.agrolink.com.br/noticias/frente-parlamentar-agropecuaria-tem-novo-presidente_443178.html

 

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu