EspecialistasMsc. Priscila Amaro
0

Nematoides em hortaliças

(Curadoria Agro Insight)

Os nematoides também causam danos expressivos nas hortaliças, seja pelo dano nas raízes, que causam perdas de produtividade, como na depreciação do produto final, principalmente das hortaliças consumidas de forma in natura, os nematoides causam deformações, galhas, lesões, apodrecimento, entre outros.

Os nematoides causam perdas de 30 bilhões de dólares no mundo, representando cerca 10-12% da produção mundial de hortaliças. Para o seu manejo eficiente várias ferramentas devem ser adotadas, no manejo integrado de nematoides, visto o alto custo de produção, a convivência com os nematoides é difícil, principalmente por se tratar de culturas altamente suscetíveis aos principais nematoides.

O objetivo desse artigo é informar como está o panorama geral de nematoides em hortaliças atualmente.

1. PRINCIPAIS NEMATOIDES EM HORTALIÇAS

O grupo dos nematoides de galhas (Meloidogyne incognita, M. javanica, M. hapla, M. arenaria) são de maior importância para as hortaliças, mas espécies de outros gêneros também ganham destaque, como os nematoides de lesões (Pratylenchus brachyurus, P. penetrans, P. coffeae), nematoide espiralado (Helicotylenchus dihystera), nematoide reniforme (Rotylenchulus reniformis), nematoide da casca preta do inhame (Scutellonema bradys) e nematoide do amarelão do alho (Ditylenchus dipsaci), confira na tabela abaixo a descrição de quais nematoides são importantes para as hortaliças.

 Tabela 1. Principais espécies de nematoides importantes para as hortaliças no Brasil.

Nome comum

Espécies

Hortaliças

Nematoide das galhas
M. enterolobii, M. incognita, M. javanica, M. ethiopica, M. hapla, M. arenaria Alface, cenoura, batata-doce, beterraba, cebola, curcubitáceas (abóboras, abobrinhas, melão, morangas, pepino), solanáceas (batata, pimenta, pimentão, jiló, berinjela, tomate).
Nematoide das lesões radiculares
Pratylenchus brachyurus, P. penetrans, P. coffeae Batata, mandioquinha-salsa, inhame, cenoura, jiló, quiabo, tomate, pimentão, batata-doce, ervilha
Nematoide do amarelão-do-alho
Ditylenchus dipsaci Alho, cebola
Nematoide reniforme
Rotylenchulus reniformis Coentro, melão, alface, batata-doce, melancia, tomate, quiabo
Nematoide da casca preta do inhame
Scutellonema bradys Inhame, cará e mandioquinha-salsa
Nematoide espiralado
Helicotylenchus dihystera cenoura
Adaptado do livro: Nematoides em hortaliças, Embrapa. 2017

2. FERRAMENTAS DE MANEJO NAS HORTALIÇAS

A prevenção é sempre a melhor ferramenta de manejo, pois depois do nematoide ser disseminado numa área dificilmente pode-se fazer a erradicação, principalmente em áreas de hortaliças que se tem a sucessão de culturas suscetíveis, que favorece o aumento exponencial das densidades de nematoides.

Algumas formas de prevenção podem ser feitas nas áreas como: limpeza de máquinas e utensílios, manejo de escorrimento superficial, uso de mudas sadias, realizar análises nematológicas em áreas novas, antes do plantio.

Quando a presença dos nematoides é confirmada, o manejo integrado deve ser implantado imediatamente, utilizando-se as ferramentas de manejo genético (uso de cultivares que reduzam a população dos nematoides), manejo químico (uso de produtos químicos), manejo biológico (uso de produtos biológicos) e manejo cultural (rotação de culturas, uso de mudas sadias, manejo de plantas daninhas, eliminação de restos culturais).

a) Manejo genético

Vários genes já foram relatados em hortaliças o que confere resistência a mais de uma espécie do mesmo gênero, no caso dos nematoides de galhas (Meloidogyne sp.), o mais conhecido é o Gene Mi, que confere resistência a M. arenaria, M. incognita e M. javanica em tomate. Em outras culturas também existem genes importantes como a cenoura, batata, alface, pimenta e pimentão (Tabela 2).

O uso de cultivares resistentes ajuda na diminuição da densidade do nematoide na área, plantas resistentes multiplicam pouco o nematoide, essa resistência acontece por reação de hipersensibilidade, assunto já tratado aqui em outros artigos do portal.

A Embrapa trabalha constantemente a anos para encontrar mais fontes de resistência e lançamento de novas cultivares ou uso de portaenxertos das mais diversas hortaliças.

Tabela 2. Genes de resistência a Meloidogyne spp. identificados e utilizados em hortaliças.

Hortaliças
Genes
Espécies de Meloidogyne
Alface
Me M. incognita

raças 1,2,3 e 4

Batata
Rcm1; MfaXIIspl M. incognita
Cenoura
Mj-1 M. incognita

M. javanica

Pimenta e pimentão
Me1; Me3; Me4; Me7; Mech1; Mech2; N M. arenaria

M. incognita

M. javanica

Tomate
Mi-1; Mi-9 M. arenaria

M. incognita

M. javanica

Adaptado do livro: Nematoides em hortaliças, Embrapa. 2017

b) Manejo químico

Poucos produtos tem registro para hortaliças, os mesmos estão descritos na Tabela 3, em áreas com altas densidades podem ser utilizados para resultado a curto prazo, devido ao período residual, que dura aproximadamente 40 dias, após o período residual os nematoides conseguem se multiplicar normalmente. Para melhores resultados recomenda-se o uso do manejo químico junto com outras ferramentas de manejo.

Tabela 3. Ingredientes ativos registrados como nematicidas.

Ingrediente ativo
Culturas
Alvo (nematoide)
Fluopiram
Batata Meloidogyne javanica
Fostiazato
Cenoura Meloidogyne javanica
Cadusáfos
Batata Meloidogyne javanica
Fluensulfona
Alho Meloidogyne javanica
Beterraba Meloidogyne javanica
Batata Pratylenchus brachyurus
Cebola Meloidogyne javanica
Cenoura Meloidogyne javanica
Pimentão Meloidogyne javanica
Mandioquinha salsa Meloidogyne javanica
Fumo Meloidogyne incognita
Melão Meloidogyne incognita
Pimenta do reino Meloidogyne javanica
Tomate Meloidogyne javanica
Fonte: MAPA, 2022

c) Manejo biológico

Existem muitos organismos presentes no solo que podem fazer o controle biológico natural dos nematoides, atualmente com o aumento do registro de produtos (Tabela 3) à base de fungos e bactérias com ação nematicida, é possível ter mais opções disponíveis para o manejo de nematoides, principalmente porque os produtos biológicos são registrados para o alvo, isso possibilita o uso dos mesmos em qualquer cultura que o alvo ocorra.

Tabela 4. Agentes de controle biológicos registrados.

Tipo de agente
Agente de controle
Alvo (nematoide)
Bactéria
Bacillus sp. Meloidogyne javanica
Meloidogyne incognita
Pratylenchus brachyurus
Fungo
Pochonia chlamydosporia Meloidogyne javanica
Trichoderma harzianum Pratylenchus brachyurus
Trichoderma koningiopsis Meloidogyne incognita
Pratylenchus brachyurus
Fonte: Mapa, 2022

 d) Manejo cultural

O manejo cultural consiste em todas as atividades de cultivo que podem ajudar a amenizar os danos dos nematoides, como uso de mudas sadias, controle de plantas daninhas, tigueras e rotação de culturas.

A rotação de culturas é uma ferramenta que quando bem utilizada apresenta ótimos resultados no manejo de nematoide, principalmente quando as plantas utilizadas são antagonistas aos nematoides presentes na área.

Plantas antagonistas são aquelas que afetam a população do nematoide, diminuindo a densidade da espécie na área, podendo atuar como planta-armadilha (o nematoide penetra, mas o ciclo não se completa ou é lento), más hospedeiras (ocorre penetração, mas poucos nematoides conseguem completar o ciclo) e ainda plantas que liberam substâncias com capacidade nematicida/nematostática ou que possuem essas substâncias em seus tecidos.

As plantas indicadas para a rotação variam de acordo com as espécies presentes na área, é importante ressaltar que a reação das plantas aos nematoides não são as mesmas, o tempo de rotação também varia de acordo com as densidades na área, altas densidades necessitam de tempo de rotação maior, a rotação serve para interferir no ciclo de vida do nematoide, considerando que se trata de um parasita obrigatório, o nematoide fica sem alimento e por consequência as densidades diminuem.

3. CONSIDERAÇÕES

O manejo de nematoides em áreas de hortaliças é complexo, porém, é possível conviver com os nematoides nessas áreas utilizando as ferramentas de manejo integradas mencionadas nesse artigo, com a ajuda de profissional responsável.

BIBLIOGRAFIA E LINKS RELACIONADOS

– BROWN, D.J.F.; FERRAZ, L.C.C.B. Nematologia das plantas: fundamentos e importância. Manaus: Norma Editora, 2016. 251 p. Disponível em: http://www.nematologia.com.br/files/livros/1.pdf

– FERRAZ, S.; FREITAS, L.G.; LOPES, E.A.; DIAS-ARIEIRA, C.R. Manejo Sustentável de Fitonematoides. Viçosa: Editora UFV, 2011. 304p. Disponível para compra em: https://www.editoraufv.com.br/produto/manejo-sustentavel-de-fitonematoides/1108956

– PINHEIRO, J.B. Nematoides em hortaliças. Brasília: Embrapa, 2017. 196p. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1070313/nematoides-em-hortalicas

– AGROFIT. Nematicidas biológicos. Disponível em: http://agrofit.agricultura.gov.br/agrofit_cons/principal_agrofit_cons

 

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , , , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

maio 2022
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu