Curadoria
0

Saiba como será o clima nos próximos meses (abril, maio e junho)

Perspectivas para a agropecuária em 2022

(Curadoria Agro Insight)

Na curadoria de hoje, trouxemos o prognóstico agroclimático dos próximos meses, informação fundamental para o planejamento dos cultivos.

Região Norte

A previsão climática produzida com o método objetivo (multimodelo – cooperação entre INPE, INMET e FUNCEME) indica predomínio de chuvas acima da média climatológica na parte norte da Região Norte, devido principalmente a
persistência da atuação da Zona de Convergência Intertropical. Nas demais áreas, chuvas ligeiramente abaixo da média histórica durante o trimestre, principalmente no setor sul, onde a partir de maio tem-se o início do período seco desta região.
A temperatura média do ar deverá prevalecer próxima da climatologia em grande parte da região, exceto no norte do Pará, Amapá e Roraima, onde as temperaturas devem ser ligeiramente abaixo da média, devido a persistência de dias
chuvosos que amenizam as temperaturas.
Já a previsão do balanço hídrico, indica que o armazenamento de água no solo se manterá elevado em grande parte da região, com exceção do Estado de Roraima e do extremo norte do Baixo Amazonas (PA) no mês de abril. Nos meses seguintes, os acumulados de chuva acima da média previstos para a faixa norte da região, poderá aumentar os níveis de umidade do solo em Roraima. Na parte sul da região amazônica, desde o Estado do Acre até o Tocantins, a previsão é de redução do armazenamento, principalmente no mês de junho, devido a redução dos acumulados de chuva previstos para estas áreas.

Região Centro-Oeste

A previsão do multimodelo indica tendência de precipitação ser próxima ou ligeiramente abaixo da climatologia em praticamente toda a região. Destaque para o sul do Mato Grosso do Sul, onde as chuvas previstas podem ser mais escassas.
As previsões indicam que as temperaturas devem ser próximas da média climatológica nos próximos meses.
Para o Mato Grosso do Sul, a previsão continua indicando tendência de baixos níveis de água no solo em todo o trimestre em decorrência das chuvas abaixo da média previstas pelo modelo do INMET. Nos demais estados da região, o armazenamento previsto tende a diminuir a partir do mês de maio, chegando a valores menores que 40% no mês de junho, principalmente no norte e sudeste do Mato Grosso e oeste de Goiás.

Região Sudeste

São previstos para esta região, chuvas próximas e ligeiramente abaixo da média para os quatro estados, porém para o sudeste de São Paulo, são previstos totais de chuvas mais baixos que a climatologia do trimestre. A temperatura do ar deve permanecer próxima da média histórica na Região Sudeste, exceto no sul de Minas Gerais e de São Paulo, onde a tendência é que a temperatura seja ligeiramente abaixo da média, sugerindo possível declínio das
temperaturas ao longo do trimestre.
No mês de abril, com exceção do norte do estado de Minas Gerais e oeste de São Paulo, são previstos bons níveis de umidade do solo para a Região Sudeste, com valores acima de 70%. Porém, com a transição entre as estações do outono e inverno,  que é caracterizada pela redução das chuvas, os níveis de armazenamento em  grande parte da região também serão impactados negativamente, chegando a valores menores que 40%, principalmente no mês de junho .

Região Sul

Para a Região Sul, a previsão é de chuvas abaixo da média climatológica em praticamente toda a região, em decorrência dos impactos que o fenômeno La Niña pode causar.
A temperatura do ar na Região Sul deverá prevalecer próxima da climatologia do período. A previsão do balanço hídrico indica a continuidade de médios a baixos níveis de umidade de água no solo durante o mês de abril, principalmente no oeste do Paraná. Entretanto, para os meses seguintes, mesmo com as previsões de chuva ligeiramente abaixo da média, as poucas chuvas poderão elevar o armazenamento de água no solo em praticamente toda a região, principalmente no mês de junho.

Região Nordeste

A previsão indica chuvas acima da média histórica para grande parte da Região Nordeste, principalmente sobre a costa leste da região, em decorrência dos impactos da La Niña e ao padrão de águas mais aquecidas próximo à costa. Já na região centrossul da Bahia e norte do Ceará as chuvas podem ser próximas da média.
As temperaturas do ar devem predominar em grande parte da região Nordeste dentro da média. Porém, na parte norte do Ceará e do Rio Grande do Norte a previsão aponta para temperaturas ligeiramente acima da climatologia do trimestre. Os acumulados de chuva acima da média previstos entre os meses de abril e maio na faixa norte da região poderão manter os bons níveis de água no solo nessa área, com valores acima de 80%. Já em junho, há tendência de expansão da área com baixos níveis de armazenamento, mesmo com acumulados de chuva previstos dentro da média, principalmente na divisa entre os estados da Bahia, Pernambuco e Piauí.

Região Centro-Oeste

A previsão do multimodelo indica tendência de precipitação ser próxima ou ligeiramente abaixo da climatologia em praticamente toda a região. Destaque para o sul do Mato Grosso do Sul, onde as chuvas previstas podem ser mais escassas.
As previsões indicam que as temperaturas devem ser próximas da média climatológica nos próximos meses.
Para o Mato Grosso do Sul, a previsão continua indicando tendência de baixos níveis de água no solo em todo o trimestre em decorrência das chuvas abaixo da média previstas pelo modelo do INMET. Nos demais estados da região, o armazenamento previsto tende a diminuir a partir do mês de maio, chegando a valores menores que 40% no mês de junho, principalmente no norte e sudeste do Mato Grosso e oeste de Goiás.

Região Sudeste

São previstos para esta região, chuvas próximas e ligeiramente abaixo da média para os quatro estados, porém para o sudeste de São Paulo, são previstos totais de chuvas mais baixos que a climatologia do trimestre. A temperatura do ar deve permanecer próxima da média histórica na Região Sudeste, exceto no sul de Minas Gerais e de São Paulo, onde a tendência é que a temperatura seja ligeiramente abaixo da média, sugerindo possível declínio das
temperaturas ao longo do trimestre. No mês de abril, com exceção do norte do estado de Minas Gerais e oeste de São Paulo, são previstos bons níveis de umidade do solo para a Região Sudeste, com valores acima de 70%. Porém, com a transição entre as estações do outono e inverno, que é caracterizada pela redução das chuvas, os níveis de armazenamento em grande parte da região também serão impactados negativamente, chegando a valores menores que 40%, principalmente no mês de junho.

Região Sul

Para a Região Sul, a previsão é de chuvas abaixo da média climatológica em praticamente toda a região, em decorrência dos impactos que o fenômeno La Niña pode causar.

A temperatura do ar na Região Sul deverá prevalecer próxima da climatologia do período. A previsão do balanço hídrico indica a continuidade de médios a baixos níveis de umidade de água no solo durante o mês de abril, principalmente no oeste do Paraná. Entretanto, para os meses seguintes, mesmo com as previsões de chuva ligeiramente abaixo da média, as poucas chuvas poderão elevar o armazenamento de água no solo em praticamente toda a região, principalmente no mês de junho.

BIBLIOGRAFIA E LINKS RELACIONADOS

Boletim Agroclimatológico / Instituto Nacional de Meteorologia. – v.57 n.04 – (2022) – Brasília: Inmet, 2022.

 

Espaço para parceiros do Agro aqui

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

maio 2022
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu