Curadoria
0

Retrospectiva 2021 – Mercado da Soja

Retrospectiva 2021 – Mercado da Soja

(Curadoria Agro Insight)

Hoje trouxemos uma retrospectiva do mercado da soja em 2021. A análise é realizada pela equipe do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Mesmo com maior produção, preço atinge recorde em 2021.

Embora a semeadura da safra 2020/21 da soja tenha sido tardia no Brasil, devido ao atraso das chuvas, posteriormente, o clima favoreceu as lavouras, resultando em produção recorde pela segunda temporada consecutiva, de 137,32 milhões de toneladas, de acordo com a Conab. Mesmo com a safra volumosa, na média de 2021, os preços domésticos registraram patamares recordes, em termos reais (deflacionados pelo IGP-DI de nov/21).

A temporada 2020/21 se iniciou com o menor estoque de passagem dos últimos sete anos (desde 2013/14), segundo o USDA. Além disso, mais da metade da produção de 2021 havia sido comercializada antecipadamente, o que deixou sojicultores atentos às entregas de contratos e resistentes em realizar novas vendas no spot nacional.

O maior volume de contratos teve como destino a exportação, devido ao câmbio atrativo. Os atrasos na semeadura e na colheita, no entanto, atrapalharam os agendamentos de embarques de exportação e elevaram os custos logísticos internos e externos. Quanto aos preços, a restrição para novas vendas se somou ao maior interesse comprador, fazendo com que, em abril e maio, especialmente, a oleaginosa tivesse valorização mais expressiva.

Já em junho, os valores se enfraqueceram, influenciados pela queda do dólar, pelo encerramento da colheita de soja na Argentina e pelo clima favorável às lavouras de soja nos Estados Unidos. Esse cenário ampliou a disparidade dos preços pedidos compradores e ofertados pelos vendedores, mantendo baixa a liquidez interna.

Porém, a partir de julho, as indústrias brasileiras começaram a sinalizar necessidade de repor os estoques do grão, acirrando a disputa com os consumidores internacionais. Com isso, de agosto a outubro, a diferença entre as médias dos Indicadores ESALQ/BM&FBovespa – Paranaguá (PR) e CEPEA/ESALQ – Paraná ficou abaixo de 2%, a menor do ano. No último bimestre, a atenção dos agentes de mercado se voltou às lavouras de soja da safra 2021/22 na América do Sul, enquanto parte dos consumidores já havia feito estoques para este período.

No agregado do ano, as médias dos Indicadores da soja ESALQ/BM&FBovespa – Paranaguá e CEPEA/ESALQ – Paraná foram de R$ 175,80/sc e de R$ 171,18/sc de 60 kg, com respectivas altas de 14,88% e de 13,82% sobre as de 2020, em termos reais.

De acordo com dados da Secex, no acumulado de 2021, o Brasil exportou volume recorde de 83,51 milhões de toneladas de soja, sendo 0,65% superior ao de 2020.

Óleo de soja

Além da valorização da matéria-prima e da alta externa, os preços do óleo de soja subiram em 2021, influenciados pela firme demanda por indústrias de biodiesel no mercado global. Segundo o USDA, na temporada 2020/21, o consumo brasileiro de óleo de soja foi de 4,16 milhões de toneladas pelo setor industrial e de 3,8 milhões de toneladas pelas indústrias alimentícias, ambos recordes. O Brasil exportou 1,33 milhão de toneladas de óleo de soja na parcial de 2021 (de janeiro a novembro), o maior volume desde 2018.

Diante disso, o óleo de soja negociado na cidade de São Paulo (com 12% de ICMS incluso) teve média de R$ 7.568,34/tonelada em 2021, sendo 22,24% acima da registrada em 2020 e um recorde da série do Cepea, iniciada para este produto em 1998, em termos reais.

Farelo de soja

A demanda nacional por farelo de soja também esteve aquecida em 2021. No entanto, a queda nas exportações e a firme procura por óleo de soja, que gera maior excedente de farelo, limitaram o aumento nos preços deste derivado.

Embora o consumo doméstico de farelo de soja tenha sido recorde, de 19,14 milhões de toneladas na temporada 2020/21 (USDA), as exportações foram as menores desde 2017, totalizando 15,5 milhões de toneladas (Secex). Com isso, na média das principais regiões acompanhadas pelo Cepea, os preços do farelo subiram apenas 0,77% entre 2020 e 2021, em termos reais.

Estados Unidos

A alta nos preços domésticos também esteve atrelada às valorizações nos contratos negociados na CME Group (Bolsa de Chicago). A China voltou a adquirir maior volume de soja dos Estados Unidos, o que resultou em exportação recorde na temporada 2020/21. Com isso, a relação estoque/consumo final da soja foi a menor desde a safra 2015/16. Além disso, a demanda por derivados esteve aquecida, sobretudo a partir do segundo semestre.

A alta do dólar e as dificuldades logísticas para exportação, ocasionadas por temporais em regiões portuárias norte-americanas no terceiro trimestre do ano, limitaram a alta nos preços futuros. Frente ao Real, a moeda norte-americana registrou média anual recorde em 2021, de R$ 5,3956.

REFERÊNCIAS E LINKS RELACIONADOS

ALVES, L.R.; SANCHES, A.; SILVA, D.K.P.; SALES, C.; BERTOLOTI, T.B.; LACERDA, K.; GUIMARÃES, N.; FAVERI, M.C.; CARVALHO, S.; ROSADA, T. CEPEA: RETROSPECTIVAS DE 2021.

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu