ClimaCuradoria
0

Prognóstico Agroclimático para o próximo trimestre de 2023!

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

(Curadoria Agro Insight)

Hoje a curadoria compartilha o prognóstico Agroclimático para o próximo trimestre de 2023!. O conhecimento das condições de clima é fator fundamental para o planejamento das atividades agropecuárias e para a sustentabilidade dos sistemas de produção.

Região Norte

A previsão climática produzida com o método objetivo (multimodelo – cooperação entre INPE, INMET e FUNCEME) indica predomínio de chuvas abaixo da média climatológica em grande parte da região. Resultado de possíveis impactos
previstos do El Niño na região nos próximos meses. Nos Estados de Roraima, Amapá e Tocantins, a previsão é de chuvas próximas e ligeiramente acima da média durante o trimestre.

A temperatura média do ar deverá prevalecer em praticamente toda a região acima da climatologia. Exceto no extremo norte do Pará e do Amapá, com temperatura próxima da normal climatológica. Já a previsão do balanço hídrico para o mês de junho indica manutenção dos níveis de água no solo (maiores que 80%) em áreas do extremo norte da região, devido a previsão de chuvas dentro ou acima da média. A partir do mês de julho, a redução das chuvas em áreas do centro-sul da região continuará impactando negativamente os níveis de água no solo, principalmente em Tocantins, Rondônia e sul do Pará.

Região Nordeste

A previsão indica chuvas abaixo da média em quase toda a região, mas principalmente no centro-norte do Maranhão e no leste dos Estados do Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. Possivelmente associado aos impactos que o El
Niño pode causar à região. Já no centro-sul da região, as chuvas devem ser próximas à média.

Quanto a temperatura do ar, deve ser acima da média histórica em parte da região, exceto do sertão paraibano até o extremo sul da Bahia, onde as temperaturas devem ser próximas da climatologia nos próximos meses.

Em áreas do MATOPIBA (área que abrange os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) a previsão de redução das chuvas nos próximos meses  poderá ocasionar diminuição dos níveis de água no solo e impactar as culturas de
segunda safra que se encontrarem em estágios fenológicos mais sensíveis. A redução do armazenamento de água no solo também é prevista pelo modelo nos próximos meses no Semiárido Nordestino, com valores que podem ser menores que 40%, enquanto no litoral norte e da costa leste da região, a previsão indica manutenção da umidade do solo em todo o trimestre, com valores superiores a 60%.

Região Centro-Oeste

A previsão do multimodelo indica tendência de a precipitação ser próxima e ligeiramente abaixo da média histórica, concordando com o período seco da região. As previsões indicam que as temperaturas devem ser acima da climatologia nos próximos meses, principalmente no noroeste do Mato Grosso e sul do Mato Grosso do Sul.

Em grande parte da região, com exceção de áreas do sul de Mato Grosso do Sul, o modelo continua indicando redução do armazenamento hídrico, chegando a valores menores que 40% em praticamente todo o trimestre, devido à diminuição das chuvas, que é característico da região. Essa condição poderá afetar as culturas agrícolas de segunda safra e de inverno que estiverem em estádios fenológicos sensíveis ou sob deficiência hídrica.

Região Sudeste

São previstas chuvas abaixo da média histórica em quase toda a região, exceto no norte de Minas Gerais, onde a previsão indica totais de chuvas próximo da climatologia do trimestre. Assim como na Região Centro-Oeste, normalmente é observado redução das chuvas durante o inverno. A temperatura do ar deve ser acima da média histórica no centro-sul de Minas Gerais e São Paulo. Nas demais áreas, as temperaturas deverão permanecer próximas à média.

A redução das chuvas prevista poderá afetar negativamente os níveis de água no solo, principalmente em áreas que já se encontram com baixos níveis de umidade no solo, como no centro e norte de Minas Gerais, causando impactos às culturas de segunda safra e de inverno que se encontrem em fases fenológicas mais sensíveis ou sob déficit hídrico. Já em áreas do sul da região, a previsão indica manutenção dos níveis de água no solo, com valores maiores que 50% nos três meses.

Região Sul

A previsão é de chuvas abaixo da média climatológica nos próximos meses, porém com a chance de transição da fase neutra para condições de El Niño, não descarta a possibilidade de chuvas acima de 400 mm no trimestre, principalmente na parte central da Região Sul. A temperatura do ar deverá prevalecer acima da média histórica em praticamente toda a região. Na Região Sul, mesmo que ocorram chuvas dentro ou abaixo da média, e associado à diminuição das temperaturas durante o inverno, os níveis de água no solo ainda poderão continuar elevados, com valores superiores a 80%, podendo beneficiar os cultivos de inverno e as fases finais dos cultivos de segunda safra.

BIBLIORAFIA E LINS RELACIONADOS

Boletim Agroclimatológico / Instituto Nacional de Meteorologia. – v.58 n. 06 – (2023) – Brasília: Inmet, 2023.00

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: clima, previsão

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
LinkedIn
YouTube
Instagram