Produtores rurais já podem renegociar dívidas contraídas com fundos constitucionais

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

Advogada explica o procedimento para negociar, que varia de acordo com o porte da propriedade ou região do país

Produtores rurais com dívidas nos fundos constitucionais já podem regularizar suas contas. O Governo Federal assinou o Decreto Nº 11.796, que autoriza os bancos administradores desses fundos a realizar acordos de renegociação extraordinária de operações de crédito.

A Crise no Agronegócio e a Recuperação Judicial: Uma das Opções para o  Soerguimento do Produtor Rural - STG NewsA CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) estima que o total das dívidas passíveis de renegociação sejam mais de 25 bilhões de reais e que 95% dos beneficiários sejam do setor rural.

Segundo a Biolchi Empresarial, a medida era muito esperada pelo mercado. “Muitos produtores acessaram esses fundos de fomento à região Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Embora a lei previsse negociação em caso de dívida, não estava ainda definido o procedimento para isso”, explica a advogada Gabriela Totti, da Biolchi Empresarial.

O refinanciamento se aplica a todo o território nacional, permitindo a repactuação de dívidas rurais de até R$ 100 mil em operações de crédito rural de custeio e investimento, desde que o produtor demonstre impacto adverso nas condições de comercialização ou fatores climáticos.

A advogada ainda destaca que existem propostas específicas, oferecendo descontos e juros menores, conforme o porte do produtor e a localização da propriedade. Agricultores familiares, micro, pequenos e médios produtores rurais nas áreas de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), por exemplo, terão a oportunidade de renegociar dívidas contratadas até 31 de dezembro de 2022, com condições que incluem descontos no saldo devedor, bônus de adimplência, taxas de juros favoráveis e parcelamento em dez anos.

Já os produtores com dívidas originais de até R$ 100 mil tomadas com recursos de fundos constitucionais, como o Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) ou Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), o projeto estabelece parâmetros semelhantes, estendendo-se inclusive aos grandes produtores.

Fonte da imagem: stgnews 05/01/2024

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, dívidas, fundos constitucionais, legislacao, negociação, produtor-rural

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829  
LinkedIn
YouTube
Instagram