CulturasCuradoriaGestãoMercado
0

Os impactos do crédito rural no MATOPIBA

economia PIB rural

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

(Curadoria Agro Insight)

Hoje a curadoria Agro Insight traz um resumo do estudo da Embrapa, que avalia a relação do crédito rural sobre os salários, o emprego e o PIB da agropecuária no MATOPIBA. O trabalho é dos pesquisadores da Embrapa Territorial: Daniela Tatiane de Souza; Lucíola Alves Magalhães; e Gustavo Spadotti Amaral Castro.

Estudo mostra impacto do crédito rural no PIB da Agropecuária no Matopiba

Captura de tela - O Matopiba compreende partes do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia

Imagem: Captura de tela/Embrapa

Qual o impacto da concessão de crédito rural sobre salário, emprego e o PIB da Agropecuária? Um trabalho da Embrapa Territorial avaliou a relação entre essas quatro variáveis no período de 2013 a 2017, na região do MATOPIBA, área de fronteira agrícola que compreende partes do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. O resultado das análises aponta que tanto variações do crédito rural quanto os níveis de salários e empregos na agropecuária têm efeito positivo sobre o PIB do setor nos municípios estudados.

Outra variável que pode ser impactada positivamente é o nível dos salários, que cresce à medida que melhoram o PIB e o nível de empregos. O crédito rural e o nível de empregos mostraram-se, por sua vez, pouco suscetíveis a modificações em uma direção contrária, ou seja, não foi observada capacidade de variações do PIB impactarem essas duas variáveis.

Chama a atenção o alto impacto do aumento do volume de crédito sobre o PIB da Agropecuária em um conjunto de 17 municípios localizados entre o Oeste da Bahia, o Sul do Maranhão e o Sudoeste do Piauí. A analista Daniela Tatiane de Souza, da Embrapa Territorial, avalia que o crédito rural melhora a estrutura de produção e, consequentemente, os lucros do produtor, o que tende a incentivar o aumento do PIB da Agropecuária.

Publicação

A pesquisa empregou uma metodologia que utiliza painéis de dados para averiguar a existência e o impacto das relações entre as variáveis, até então pouco utilizadas para avaliações regionais. O resultado obtido pelos autores está em um artigo científico apresentado no 50º Encontro Nacional de Economia, promovido pela Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia (Anpec).

Foi feito também um exercício para avaliar a resposta a impulsos. Por exemplo, em um cenário de estabilidade, o que aconteceria, num período de 10 anos, se houvesse melhoria em uma das variáveis. O nível de atividade econômica, por exemplo, seria positivamente impactado pelo aumento nos níveis de salários, empregos e de crédito rural.

Para Souza, a pesquisa feita mostra o potencial da metodologia para entender as relações entre os indicadores econômicos em nível regional. Ela pode ser utilizada, por exemplo, para pensar estratégias de estímulo ao mercado de trabalho na agropecuária, bem como o papel do crédito rural em políticas públicas.

GeoMatopiba

O trabalho foi inspirado e utilizou dados de uma plataforma de dados sobre o MATOPIBA lançada pela Embrapa Territorial em 2020, o GeoMatopiba. Disponível gratuitamente online, ela é composta por painéis interativos com dados dos 337 municípios que compõem a região, sobre empregos formais, crédito rural e a produção agropecuária, além das tecnologias da Embrapa disponíveis para a região. As informações são geoespacializadas e estão apresentadas em mapas, gráficos e tabelas, com possibilidade de download. Clique aqui para acessar o GeoMatopiba.

Considerações

O Matopiba tem sido reconhecido pelo seu intenso ritmo de crescimento e pelas importantes mudanças estruturais na economia regional. O crescimento do PIB da agropecuária entre 2013 e 2017 no Matopiba foi bastante expressivo, uma taxa de variação média de 7,7% a.a, conforme evidenciado na seção 3.1. Os efeitos dinamizadores desse crescimento fazem-se sentir no setor agropecuário, cuja realidade abarca uma estrutura grandemente voltada para a produção de grãos: a região é responsável por 12% da produção de soja e 7% da produção de milho no país. A expansão da agropecuária na região foi consequência não somente do aumento da produção de lavoura temporária, mas também da atração de empresas e da elevação generalizada da renda média nacional que elevou o padrão de vida do brasileiro nos últimos anos. Destacam-se também importantes investimentos em saúde, educação e melhoria da renda via Bolsa Família.

Com o intuito de investigar os efeitos que esse dinamismo tem acarretado para o PIB da agropecuária, centrou-se nos impactos provenientes de choques de oferta no crédito rural, no salário e no emprego da agropecuária no MATOPIBA entre 2013 e 2017. A análise exploratória de dados e a estatística descritiva apontaram a ausência de agrupamentos regionais significantes para as variáveis analisadas, uma média para o  PIB municipal em torno de R$ 46,8 milhões e grande variabilidade dos valores, atribuída às diferenças socioeconômicas dos municípios analisados no painel.

Tratando de um modelo dinâmico e com variáveis endógenas, os resultados da pesquisa apontaram que o crédito rural, o nível de salários e emprego na agropecuária apresentam impacto positivo sobre o PIB da agropecuária dos municípios do MATOPIBA. Como um choque em qualquer variável do modelo afeta as demais variáveis, pode-se avaliar adicionalmente a resposta do salário a choques no PIB da agropecuária, no nível de emprego e no próprio salário: choques nas referidas variáveis também foram capazes de afetar positivamente as remunerações da agropecuária. Uma evidência nessa linha foi constatada por Júnior e Targino (2005) no que tange ao impacto do salário sobre o nível de emprego. Por outro lado, considerando a resposta do nível de emprego, um choque no crédito rural ocasionou um impacto inicial positivo sobre o nível de emprego, tornando-se em seguida levemente negativo e suavizando-se com o tempo. Esse impacto está de acordo com Silva e Arruda (2019) que também reportaram impactos positivos no emprego dos estados das regiões Norte e Nordeste, embora tenham constatado impactos negativos ao analisar todas as unidades da federação.

Por outro lado, ainda que diferentes estudos tenham verificado um mecanismo de feedback do PIB da agropecuária em relação ao crédito, o presente trabalho não constatou um impacto significativo de um choque nessa direção. Também não se observaram evidências de que choques no nível de salário afetem as concessões de crédito rural e o próprio mercado de trabalho. Pressupõe que esse resultado seja atribuído ao elevado índice de informalidade no setor rural, o que dificulta a identificação das contratações por meio da RAIS, bem como às características do crédito rural no MATOPIBA, já que mais da metade da demanda por crédito rural ocorre sob a forma de custeio, com baixa utilização de mão de obra.

A magnitude dos impactos, contudo, foi bastante distinta entre as variáveis. Com vistas a investigar a importância relativa das variáveis do modelo na explicação da variação do PIB da agropecuária do MATOPIBA, realizou-se uma análise da decomposição da variância. As estimativas do modelo mostraram que no longo prazo até 23% e 10,2% das variações do PIB da agropecuária podem ser explicadas por variações no nível de salário e no nível de emprego, embora no curto prazo as variações no PIB sejam fortemente determinadas por variações no próprio PIB. Em que pese o impacto do crédito rural, a sua magnitude é bem menor quando comparada ao salário e nível de emprego na agropecuária: no longo prazo uma porcentagem de somente 0,038%.

A taxa de variação anual do salário na agropecuária no MATOPIBA foi de 7,8% a.a entre 2013 e 2017, porém, as remunerações na agricultura são menores do que na indústria e no setor de serviços. Frente ao intenso crescimento dos salários e aos impactos mensurados por essa pesquisa, haveria um espaço para o poder público estruturar o uso e a remuneração da mão de obra na região. Em especial na agricultura, isso evitaria a elevada rotatividade do emprego frente à sazonalidade da produção, contribuindo para estabilizar os trabalhadores em determinadas ocupações nas áreas de fronteira. Ademais, com o processo de mecanização agrícola e seus procedimentos poupadores de mão de obra que libera força de trabalho para os demais setores na região (SERIGATI et al, 2017) e o fim do protagonismo estatal no avanço da fronteira coloca-se a premência de um modelo articulado de longo prazo que favoreça, dentre seus propósitos, uma maior estabilização do mercado de trabalho.

Para ler o artigo, clique aqui.

BIBLIOGRAFIA E LINKS RELACIONADOS

Embrapa/Notícias – Estudo mostra impacto do crédito rural no PIB da Agropecuária no Matopiba. Gestão ambiental e territorial. Fevereiro de 2023.

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: geomatopiba, MATOPIBA, PIB, rural

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829  
LinkedIn
YouTube
Instagram