Curadoria
0

Novas cultivares de soja com tecnologia Xtend

Manejo de pragas iniciais na soja: estabelecendo o equilíbrio biológico no agroecossistema

(Curadoria Agro Insight)

A Embrapa, em parceria com a Fundação Meridional, está lançando as primeiras cultivares de soja com a tecnologia Xtend® (XTD). Por serem tolerantes aos herbicidas glifosato e dicamba, as cultivares BRS 2553XTD e BRS 2558XTD são excelentes opções de refúgio para a tecnologia Intacta 2Xtend® (I2X); e esta, além da tolerância aos herbicidas, agrega a resistência às principais lagartas da soja.

A Embrapa considera o uso das cultivares Xtend®, uma medida preventiva para evitar a resistência das lagartas às cultivares Intacta 2Xtend® e, assim, prolongar a vida útil dessa tecnologia.

BRS 2553XTD

A BRS 2553XTD é uma cultivar que poderá ser usada nas áreas de refúgio para cultivares com a tecnologia I2X. Possui alta performance produtiva, associada à precocidade (grupo de maturidade 5.3). “É a cultivar mais precoce do portifólio da Embrapa e, como associa precocidade com boa ramificação, é capaz de produzir mais vagens garantindo excelente produtividade. A arquitetura das plantas também é um ponto alto porque favorece a aplicação e penetração de produtos químicos”, diz o pesquisador Carlos Lásaro Pereira de Melo.

Foto: LÁSARO, Carlos

A BRS 2553XTD é indicada para região a (REC 102) do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, especialmente com altitude superior a 700 metros. “Nestas regiões seu potencial produtivo é incrementado, podendo ser superior aos 5 mil quilos por hectare, o que supera os diferentes padrões de mercado com que foi comparada”, ressalta.

Outra característica relevante da BRS 2553XTD é a resistência à podridão radicular de Phytophthora, doença causada por um patógeno de solo que vem trazendo elevados prejuízos econômicos para as lavouras infectadas. É também resistente ao cancro da haste, à mancha olho de rã e ao mosaico comum da soja, moderadamente resistente ao oídio e tolerante ao vírus da necrose da haste.

BRS 2558XTD

A BRS 2558XTD também é uma cultivar que poderá ser usada nas áreas de refúgio para cultivares com a tecnologia I2X. A cultivar é precoce (grupo de maturidade 5.8), indicada inicialmente para uma região (REC 103) dos Estados do Rio Grande do Sul e Paraná. Devido ao ciclo da cultivar, este lançamento é indicado para aqueles que querem fazer antecipação da semeadura, porque pode ser semeada a partir de setembro, logo após o vazio sanitário. “É uma ótima opção de cultivar precoce, por estar adaptada à antecipação de semeadura, permitindo encaixe em sistemas de sucessão/rotação de culturas, como feijão ou milho safrinha”, destaca o pesquisador Carlos Lásaro Pereira de Melo.

Outro ponto alto da cultivar é o excelente potencial produtivo, associado à ótima capacidade de ramificação das plantas, superando em produtividade as cultivares mais produtivas e plantadas do mercado, na região indicada. “Nos testes de avaliação, a BRS 2558XTD apresentou potencial médio acima de 5 mil quilos por hectare, o que é bastante relevante quando comparado com outras cultivares”, ressalta o pesquisador.

A cultivar destaca-se pela boa sanidade, especialmente a resistência à podridão radicular de Phytophthora. “Essa característica agrega maior estabilidade, caso a doença se manifeste, porque as plantas não são afetadas, ao contrário das cultivares suscetíveis”, afirma Melo. É resistente ainda ao cancro da haste, ao mosaico comum da soja e moderadamente resistente à mancha olho de rã.

A BRS 2558XTD tem teor médio de proteína em torno de 40%, enquanto a média nacional é de 36%. Portanto, traz ganho bem expressivo para a agroindústria produtora de ração animal.

Proteção Ampliada contra Lagartas

A soja Intacta 2 Xtend® reúne três proteínas (Cry1A.105 e Cry2Ab2 e Cry1Ac), o que proporciona proteção contra seis espécies de lagartas que incidem na cultura da soja: Helicoverpa armigera, Spodoptera cosmioides, lagarta falsa medideira (Chrysodeixis includens), lagarta da soja (Anticarsia gemmatalis), lagarta das maças (Chloridea virescens) e broca das axilas (Crocidosema aporema). “A piramidação de três proteínas nesta tecnologia reduz a probabilidade de quebra da resistência”, explica o pesquisador Daniel Sosa Gomez, da Embrapa Soja. “Porém, um aspecto fundamental para evitar a seleção de populações de lagartas resistentes nas lavouras com esta tecnologia é o plantio de áreas de refúgio estruturado”, explica Sosa Gomez.

A recomendação atual de refúgio para a cultura da soja é, no mínimo, 20% da área com tecnologia diferente da Intacta 2Xtend®. Segundo o pesquisador, esta é uma medida preventiva que consiste no plantio de parte da lavoura com a tecnologia Xtend® – ou outras opções de soja não-Bt (sem a toxina Bacillus thuringiensis (Bt) – a uma distância máxima de 800 metros de lavouras com a tecnologia Intacta 2Xtend®. “A adoção da área de refúgio possibilita o acasalamento aleatório de mariposas oriundas das áreas com a tecnologia Intacta 2 Xtend® e das áreas de refúgio, favorecendo a manutenção de populações suscetíveis e retardando a seleção de populações resistentes”, diz.

A Embrapa defende ainda que o manejo de pragas nas lavouras com a tecnologia Intacta 2 Xtend® siga as mesmas premissas do Manejo Integrado de Pragas (MIP), como o monitoramento e o controle no momento em que as pragas atingem o nível de ação, além de priorizar o uso de inseticidas mais seletivos.

Manejo de Plantas Daninhas e aplicação do herbicida dicamba

As cultivares de soja com tecnologia Intacta 2 Xtend® e tecnologia Xtend® são tolerantes aos herbicidas glifosato e dicamba, cuja molécula  apresenta eficiência no manejo de plantas daninhas de folhas largas, como a buva, o caruru, a corda-de-viola, o picão-preto, dentre outras. “A associação do dicamba  ao glifosato é mais uma alternativa disponível no mercado para a solução de problemas com as plantas infestantes, porém, é preciso usar corretamente os produtos”, ressalta o pesquisador Dionísio Gazziero, da Embrapa Soja. “O dicamba é um herbicida recomendado para aplicação no pré-plantio da soja. É fundamental que sejam seguidas as informações contidas na bula, pois o uso em desacordo com as orientações técnicas pode ocasionar injúrias em culturas não-alvo da aplicação do herbicida”, conclui Gazziero.

Na avaliação do pesquisador, o agricultor deve estar atento quanto ao aparecimento ou disseminação de plantas daninhas resistentes. Além disso, lembra que a integração entre práticas de manejo envolve não só o controle químico, mas também a rotação dos mecanismos de ação dos herbicidas, a rotação de culturas – pelo menos na entressafra da soja – o uso de espécies para produzir uma boa palhada, a limpeza de máquinas e implementos agrícolas, o uso sementes de qualidade e livres de infestantes resistentes para evitar a reprodução dessas espécies.

Dia de Campo com apresentação das novas cultivares de soja

A Embrapa Soja promoveu, no dia 25/03, o Dia de Campo Online da Soja. No evento, foram apresentadas as novas cultivares de soja da Embrapa da plataforma Intacta2 XTEND, os resultados das cultivares de soja da safra 21/22 e também sobre o aumento da eficiência do uso de fertilizantes.

Ordem dos assuntos:

  1. Lançamento das cultivares XTEND da Embrapa na safra 21/22 – BRS 2553XTD e BRS 2558XTD
  2. Desempenho das cultivares de soja na safra 21/22
  3. Aumento da eficiência do uso de fertilizantes: entendendo os mecanismos de Balanço e Exportação de Nutrientes na soja

BIBLIOGRAFIA E LINKS RELACIONADOS

Embrapa/Notícias – Chegam ao mercado primeiras cultivares de soja com tecnologia Xtend da Embrapa e Fundação Meridional. Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação  Mercado de Cultivares e Sementes  Transgênicos

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , , , , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

maio 2022
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu