Curadoria
0

MONITORAMENTO DAS SAFRAS DE INVERNO E VERÃO

Monitoramento safra

Para atualizar a situação das lavouras, na curadoria Agro Insight de hoje trouxemos as informações do Boletim de Monitoramento Agrícola da Conab.

AGROMETEOROLOGIA

O volume acumulado de chuvas entre os dias 01 e 21 de novembro foi definido em função da formação e atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS).

Os maiores volumes ocorreram no Mato Grosso, em Goiás e Minas Gerais, além de estados do Norte e do MATOPIBA, contribuindo para a elevação da umidade no solo, a implantação e o desenvolvimento dos cultivos de verão. Nas demais regiões produtoras, os volumes de chuva foram menores e beneficiaram a maturação e a colheita dos cultivos de inverno.

Houve períodos com chuvas intensas em alguns estados, como em Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e Bahia, que podem ter causado danos pontuais devido à ocorrência de granizo, além de atrasado o desenvolvimento de lavouras por excesso de nebulosidade. No entanto, como a maioria das lavouras está em estádio de desenvolvimento vegetativo, há possibilidade de recuperação.

Por outro lado, na região Sul, observam-se períodos com pouca ou nenhuma precipitação, em parte do Paraná e no Rio Grande do Sul. Essa condição favoreceu a maturação e a colheita dos cultivos de inverno, bem como, a realização de tratos culturais nos cultivos de verão. No entanto, nas regiões com menor capacidade de retenção de água no solo, houve restrição hídrica na semeadura e no desenvolvimento de lavouras de milho e soja.

No geral, a média do armazenamento hídrico no solo nos primeiros 21 dias do mês foi suficiente para o desenvolvimento dos cultivos de verão em todos os estados. Entretanto, no centro-norte do Rio Grande do Sul e no noroeste do Paraná percebe-se uma redução no índice de umidade ao longo do período.

CULTURAS DE INVERNO E VERÃO

TRIGO – SAFRA 2021

Rio Grande do SulO clima estável nas últimas semanas favoreceu o avanço das operações de colheita, que chegou a 85% da área estadual. Em algumas localidades, como em Santa Rosa, o excesso de chuvas em outubro trouxe impactos sobre as lavouras, especialmente com um microclima propício a incidência de doenças fúngicas como giberela e brusone, devendo reduzir o rendimento dos grãos colhidos.

Paraná

Colheita próxima da conclusão, alcançando 97% da área total. As lavouras remanescentes estão mais ao leste e ao sul do estado sob condições boas em 85% e médias em 15% das áreas a serem colhidas. As áreas em condições medianas devem-se em razão das oscilações climáticas, especialmente no período de maturação dos grãos, gerando eventuais reduções de pH.

Santa Catarina

Colheita chegando a 86% da área estadual. A região oeste é a mais adiantada nas operações, à medida que o clima se tornou mais estável, com menos chuvas, favorecendo os trabalhos de campo e até a qualidade dos grãos em maturação. As demais regiões produtoras, como o meio-oeste e os extremos norte e sul, seguem em fase de colheita, porém, com menores percentuais de áreas colhidas. As lavouras estão apresentando boas condições, assim como, o rendimento dos grãos e a sua qualidade.

São Paulo

Colheita finalizada. Devido às chuvas que ocorreram na fase de maturação dos grãos, houve danos significativos na produção total, especialmente na qualidade.

SOJA – SAFRA 2021/22

Mato Grosso

Semeadura está praticamente finalizada, cerca de 99% da área prevista, com as lavouras implantadas apresentando bom desenvolvimento vegetativo em virtude das condições climáticas favoráveis aliadas ao pacote tecnológico empregado pelos sojicultores mato-grossenses. Registro das primeiras lavouras já entrando em fase de enchimento de grãos.

Mato Grosso do Sul

Semeadura em fase final, restando poucas áreas a serem semeadas em locais de solos mais arenosos. No geral, nas lavouras já implantadas, observa-se um excelente desenvolvimento.

Goiás

O clima foi um fator oscilante nas últimas semanas. Algumas regiões apresentaram excesso de chuvas e baixa incidência luminosa, algo que pode impactar na formação e desenvolvimento das lavouras. No entanto, de modo geral, a cultura vem demonstrando boas condições. As primeiras áreas semeadas ainda no fim de setembro já começam a ingressar no estádio de floração. Estima-se que 94% da área prevista já foram plantadas no estado.

MATOPIBA

Bom avanço da semeadura, favorecida especialmente pelo clima. Destaca-se a intensidade das operações no Extremo-Oeste da Bahia, no Sudoeste do Piauí e no Sul do Maranhão. Em razão do excesso de chuvas recentes, houve redução no ritmo de semeadura em algumas localidades produtoras no Tocantins.

São Paulo

Condições climáticas estiveram mais favoráveis à semeadura e à estabilização das lavouras nas últimas semanas. Já se contabiliza cerca de 83% da área monitoramento das lavouras prevista plantada no estado. A região oeste é a que apresenta ritmo mais lento no avanço das operações de semeadura.

Minas Gerais

Plantio se aproxima da conclusão no estado, chegando a 95% da área prevista. Nessa safra, as operações foram antecipadas em relação à temporada passada, pois as chuvas iniciaram mais cedo. A regularidade e os bons volumes de chuva garantiram um plantio praticamente sem interrupções. As lavouras estão se desenvolvendo bem e as suas condições são consideradas boas.

Paraná

O clima esteve mais estável nas últimas semanas e isso propiciou um maior avanço nas operações de semeadura, bem como, no desenvolvimento inicial das lavouras implantadas. De modo geral, a cultura vem apresentando bom desenvolvimento devido às condições climáticas favoráveis. O plantio tem ocorrido dentro do previsto, com estimativa de 95% da área prevista já plantada. Menor avanço da semeadura é observada na parte leste do estado. A fase fenológica predominante entre as lavouras é a de desenvolvimento vegetativo

Rio Grande do Sul

O clima seco em algumas regiões do estado postergou as operações de semeadura. Sua interrupção e o replantio em algumas localidades ocorreu devido à baixa umidade nos solos. Estima-se cerca de 52% da área prevista semeada no estado, com oscilação entre regiões que apresentaram bons regimes pluviométricos e escassez de chuvas.

MILHO PRIMEIRA SAFRA – 2021/22

MATOPIBA

Plantio evoluindo rapidamente especialmente no Extremo-Oeste Baiano. As condições climáticas estão favoráveis, garantindo boa germinação e adequado desenvolvimento das lavouras implantadas. No Maranhão, as operações também começaram no Sul do estado, porém em um ritmo inferior, priorizando a conclusão da semeadura da soja para intensificar a semeadura do milho. No Piauí e em Tocantins não houve registro de plantio nas primeiras semanas de novembro.

Goiás

Semeadura em fase final, chegando a 95% da área prevista. O clima têm sido fator importante. As condições estão adequadas para a evolução das operações e estabilização das lavouras implantadas.

São Paulo

Cerca de 85% da área está semeada, restando principalmente a região noroeste do estado, onde os solos são mais ácidos e arenosos, além das temperaturas mais elevadas. No geral, grande parte das lavouras implantadas apresentam boas condições de desenvolvimento.

Paraná

Plantio finalizado. Grande maioria das lavouras está em boas condições e em pleno desenvolvimento vegetativo. O clima tem sido favorável para cultura até o momento, excetuando registros pontuais de precipitações em forma de granizo e ventos fortes.

Rio Grande do Sul

A semeadura avançou lentamente nas últimas semanas em razão da baixa umidade do solo, atingindo 85% da área estimada. As lavouras sem irrigação que estão em floração e enchimento de grãos estão sendo prejudicadas pela baixa umidade. Preocupação com a ausência de chuvas em região como a de Santa Rosa. As altas temperaturas e os ventos provocaram a murcha das plantas e o enrolar as folhas. Estas condições podem reduzir o potencial produtivo da cultura.

ARROZ – SAFRA 2021/22

Monitoramento da safra

Rio Grande do Sul

Semeadura se aproxima do final, alcançando 94% da área estimada. A maioria das lavouras se encontra em desenvolvimento vegetativo. Na região da Campanha os produtores iniciam a irrigação em áreas semeadas em outubro. De maneira geral, as lavouras apresentam bom estande, ótimo desenvolvimento e excelentes condições fitossanitárias.

Tocantins

Semeadura continua avançando nas áreas de várzeas, beneficiada pelo bom volume de chuvas que vêm recompondo os reservatórios e aumentando a vazão dos rios que alimentam as regiões produtoras. É aguardada uma retração da área semeada, motivada principalmente pela falta de insumos no mercado (fertilizantes e defensivos). Estima-se cerca de 40% da área prevista já cultivada.

São Paulo

O ritmo de plantio foi intensificado e isso garantiu a consolidação de muitas lavouras, atingindo mais de 98% da área prevista semeada. De maneira geral, as condições apresentadas até o momento estão favoráveis ao desenvolvimento da cultura.

Santa Catarina

Aproximando-se da conclusão do plantio, com cerca de 99% da área estadual semeada, as lavouras se encontram em boas condições de desenvolvimento vegetativo e início de florescimento. Os trabalhos de aplicação de herbicida, adubação nitrogenada e controle de pragas foram favorecidos devido à concentração das chuvas em apenas um ou dois dias da semana, deixando os demais aptos para os tratos culturais. Até o momento a safra decorre dentro da perspectiva, com boa projeção de produtividade esperada devido ao bom pacote tecnológico empregado.

REFERÊNCIAS E LINKS RELACIONADOS

CONAB – COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Boletim de Monitoramento Agrícola, Brasília, DF, v. 10, n. 11, Nov. 2021

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

janeiro 2022
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu