CuradoriaGrandes Culturas
0

Monitoramento agrícola da safra 2023

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

(Curadoria Agro Insight)

Hoje, a curadoria Agro Insight traz a atualização da safra em todo o Brasil. As informações são do Boletim de Monitoramento Agrícola da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Condições climáticas

Entre os dias 1 e 21 de abril, predominou no país o baixo índice de precipitação nas principais regiões produtoras, contribuindo para a colheita dos cultivos de primeira safra. A umidade do solo tem sido favorável para o desenvolvimento da segunda safra na maioria das regiões. Os maiores volumes de chuva ocorreram na região Norte e no extremo-norte da região Nordeste, prejudicando parte da colheita da soja, mas beneficiando as lavouras em enchimento de grãos.

Por outro lado, menores volumes de chuva foram registrados em partes da Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, causando restrição no desenvolvimento do feijão e do milho segunda safra. No entanto, no Rio Grande do Sul, a falta de chuvas beneficiou as lavouras de soja em maturação e colheita.

Algodão

Mato Grosso: O clima favoreceu o desenvolvimento das lavouras. Nas principais regiões produtoras o volume de chuvas foi variável e a temperatura se manteve re- gular, possibilitando o armazenamento hídrico no solo. A maior parte das lavouras encontram-se em formação de maçãs e maturação.

Bahia: A cultura apresenta boas condições de desenvolvimento. Na região Centro Sul, a umidade do solo está abaixo de 35% em quase sua totalidade. Os cultivos de sequeiro foram impactados pela estiagem, havendo colheita antecipada e redução na produtividade. A maioria das lavouras está em fase de formação de maçãs.

Goiás: As lavouras em sequeiro estão sendo beneficiadas pela boa ocorrência de chuvas e o desenvolvimento está dentro do esperado. As lavouras irrigadas estão em desenvolvimento vegetativo e as mais adiantadas estão em formação de maçãs.

Maranhão: As lavouras de algodão em Gerais de Balsas, na região Sul do estado, encontram-se em boas condições de desenvolvimento. A primeira safra está no está- gio fenológico de formação de maçãs, e as lavouras de segunda safra apresentam-se com botões florais e em floração plena.

Mato Grosso do Sul: As chuvas promoveram bons volumes acumulados. A maioria das lavouras está em estágio de formação de maçãs.

São Paulo: Foi iniciada a colheita (2%) e a maior parte das lavouras estão em estágios de formação de maçãs e maturação, apresentando boas condições devido ao clima favorável.

Minas Gerais: Lavouras apresentam bom desenvolvimento, no entanto, tem-se observado ausência de precipitações nas áreas mais adiantadas, que estão na fase reprodutiva.

Soja

Mato  Grosso:  A  colheita  foi  finalizada  e  apesar  das  precipitações  frequentes  no período, a qualidade e produtividade da oleaginosa não foram afetadas.

Rio Grande do Sul: A colheita continua avançando, apresentando produtividades variadas e comprometidas devido aos danos causados pela estiagem, salvo algumas regiões que se aproximam da média histórica.A qualidade dos grãos colhidos,  em sua maioria, está bem abaixo das projeções iniciais, além de pequeno tamanho, apre- sentam muitos defeitos como colorações esverdeadas, queimados e ardidos.

Paraná: O clima mais seco permitiu o bom avanço da colheita, que está finalizada na maioria das regiões. A colheita apresentou bons resultados de produtividade.

Mato Grosso do Sul: A colheita foi finalizada e o excesso de precipitações durante as operações finais não afetou a qualidade do produto colhido.

Goiás: A colheita está praticamente finalizada, restando apenas colher áreas que tradicionalmente são semeadas mais tarde. Apesar do excesso de chuvas ter atrasado os trabalhos de campo, não houve prejuízo significativo na qualidade dos grãos.

Minas Gerais: A colheita aproxima-se da finalização e verificou-se que as produti- vidades superaram as expectativas iniciais.

São Paulo: A redução das precipitações permitiu que a colheita finalizasse em todo o estado.

Santa Catarina: As precipitações frequentes não prejudicaram o progresso da co- lheita em todo o estado. As produtividades obtidas têm sido satisfatórias.

Bahia: A redução nas precipitações permitiu a maturação uniforme na maioria das áreas e a colheita está quase finalizando.

Maranhão: As precipitações ocorridas no período observado favoreceram as áreas semeadas tardiamente, mas atrasaram as operações de colheita em várias regiões do estado, sem prejudicar a qualidade dos grãos

Piauí: A colheita está progredindo em ritmo normal, confirmando boas produtivi- dades. De forma pontual, na região Sul do estado a qualidade da lavoura foi afetada devido ao baixo índice pluviométrico no final da fase de enchimento de grãos.

Tocantins: A colheita foi finalizada, resultando em produtividades positivas e boa qualidade de grãos.

Pará: As precipitações ocorridas no período prejudicaram o andamento da colheita em todo o estado, principalmente no Polo de Paragominas.

Milho primeira safra

Rio Grande do Sul:  As lavouras semeadas no período ideal foram colhidas e restam no campo as lavouras cultivadas mais tarde. Estas lavouras apresentam bom desenvolvimento, mesmo tendo ocorrido precipitações abaixo da média para o período.

Minas Gerais: O encerramento da colheita da soja associado ao clima seco contri- buiu para o progresso da colheita e a maturação das lavouras em todo estado.

Paraná: As chuvas frequentes do início do mês retardaram a maturação e os traba- lhos de colheita, porém sem interferir na qualidade das lavouras dos grãos.

Santa Catarina: A colheita está próxima da finalização, atingindo 85% da área colhida. A qualidade dos grãos é considerada satisfatória, mas devido à restrição hídrica durante o ciclo de cultivo na região Oeste e no Extremo-Oeste, verificou-se diminuição na produtividade inicialmente estimada.

São Paulo: As condições climáticas foram favoráveis em todo o ciclo e a colheita está praticamente encerrada, com excelentes produtividades alcançadas.

Goiás: A colheita prossegue avançando em ritmo acelerado, favorecida pela redu- ção das precipitações.

Maranhão: Na maior parte do estado, as lavouras estão em boas condições. As precipitações ocorridas favoreceram as lavouras nos estágios de florescimento e en- chimento de grãos.

Bahia: No Extremo-Oeste, a colheita está em andamento e o tempo mais seco tem favorecido a secagem natural das plantas no campo.

Piauí: As lavouras continuam se desenvolvendo em boas condições, devido à boa distribuição de chuvas na maioria das áreas produtoras. As lavouras estão na maior parte em enchimento de grãos e início de maturação.

Pará: As lavouras se encontram em fase de enchimento de grãos e as lavouras mais precoces iniciaram a maturação. As condições climáticas favoráveis resultaram no bom desenvolvimento das áreas.

Milho segunda safra

Mato Grosso: As primeiras lavouras semeadas iniciaram o estágio de maturação. O restante das lavouras encontra-se, majoritariamente, no estágio de floração, apre- sentando bom desenvolvimento e sanidade. As chuvas ocorridas têm proporcionado um ótimo desenvolvimento para a cultura na maioria das regiões produtoras, princi- palmente para as áreas semeadas fora da janela ideal de cultivo.

Paraná: As lavouras estão com bom desenvolvimento. As boas precipitações ocorridas melhoraram as condições das lavouras, principalmente daquelas que estavam sendo afetadas pelo deficit hídrico.

Mato Grosso do Sul: As chuvas garantiram umidade disponível no solo para o correto desenvolvimento das lavouras.

Goiás: A boa reserva hídrica remanescente no solo e as chuvas que ainda ocorrem, em forma de pancadas isoladas, contribuem para a manutenção das boas condições das lavouras.

Minas Gerais: As lavouras semeadas dentro do período recomendado se desenvol- vem de maneira satisfatória. Observou-se redução das precipitações na região Norte e Noroeste do estado.

Bahia: As lavouras estão na fase de desenvolvimento vegetativo e floração, apre- sentando bom desenvolvimento.

Piauí: A semeadura foi finalizada e as lavouras estão se estabelecendo em boas condições, em sua maioria, favorecida pelos níveis de umidade do solo adequado.

Maranhão: As lavouras encontram-se nos estágios de desenvolvimento vegetativo e floração e estão em boas condições, devido ao regime pluviométrico regular nas regiões produtoras.

Tocantins: As chuvas regulares deste mês têm proporcionado ótimas condições de desenvolvimento para as lavouras, inclusive as semeadas tardiamente.

Pará: A semeadura está sendo finalizada e as precipitações frequentes têm favore- cido o desenvolvimento das lavouras, apesar do tempo encoberto.

Arroz

Rio Grande do Sul:  Tem-se verificado que a qualidade dos grãos está muito boa nas áreas onde foi possível o manejo de irrigação. A colheita está mais adiantada na região da Planície Costeira Externa – 95%, seguida pela Campanha – 92%, Fronteira Oeste – 90%, Zona Sul – 86%, Planície Costeira interna – 84% e Região Central – 80%. A região da Fronteira Oeste apresenta as áreas mais impactadas devido à estiagem, enquanto que a região Sul se estima produtividades melhores.

Santa Catarina: A colheita atingiu 90,5% da área semeada, no entanto a produtividade está variável, condicionada principalmente pela irrigação ocorrida ao longo do ciclo produtivo. As áreas do litoral Norte estão mais adiantadas na operacionalização da colheita. As lavouras estão majoritariamente em bom desenvolvimento.

Goiás: A colheita foi concluída na região de São Miguel do Araguaia, enquanto que nas demais áreas produtoras a colheita está quase finalizada com mais de 97% de grãos colhidos.

Tocantins:  A colheita foi finalizada.   Em locais onde houve excesso de chuva, ocasionando inundações das lavouras, houve perda da qualidade dos grãos colhidos.

Maranhão: As lavouras de arroz sequeiro encontram-se em boas condições e a colheita avança lentamente, devido ao excesso de chuvas, nas regiões da Baixada Maranhense e do Médio Mearim. Atualmente, menos de 10% da área produtora foi colhida.

Mato Grosso: A colheita alcançou mais de 60% das áreas produtivas e o clima favo- rável tem contribuído para o desenvolvimento das lavouras em fases de enchimento de grãos e maturação, resultando em boa produtividade.

BIBLIOGRAFIA E LINKS RELACIONADOS

Boletim de Monitoramento Agrícola, Brasília, v. 12, n. 04, abr , 2023, p. 1-13.

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: Arroz, milho, Safra 2023, soja

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

maio 2024
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram