Curadoria
0

Internet das Coisas: Inovação no Agronegócio

Internet das Coisas: Inovação no Agronegócio

Olá Agronautas!

Hoje a curadoria é sobre a revolução que a internet está proporcionando no agronegócio. Para isso, trouxemos algumas informações da Embrapa sobre o tema.

O conceito de Internet das Coisas (uma tradução literal da expressão em inglês Internet of Things – IoT) é conectar “coisas” que podem, ativa ou passivamente, coletar, monitorar e trocar dados e informações, inclusive máquina a máquina, por intermédio de redes de comunicação, com ou sem fio, sem a presença constante do ser humano (BMI e BNDES, 2017).

A internet das coisas (IoT) é considerada a mudança mais substancial na produção de bens, desde a Segunda Revolução Industrial. Envolve desde gigantes multinacionais até iniciantes startups.

O setor do agronegócio é um campo fértil para testes e adoção de tendências, serviços de TI e software, principalmente “big data” e ferramentas de gerenciamento de propriedades rurais.

IoT envolve serviços de TI e software, e ferramentas de gerenciamento de propriedades rurais. Essas tecnologias monitoram o solo (umidade, níveis de nutrientes) analisando a produtividade m pequenas parcelas, culturas (crescimento, surtos de doenças), pecuária (saúde do gado e ciclos de parto), equipamentos agrícolas (tanques, armazéns, celeiros, máquinas e outros equipamentos ao longo da cadeia de suprimentos) e pode permitir uso mais personalizado e eficiente de insumos e mão de obra, aumentando, portanto, a produtividade e rendimentos de negócio agrícola.

Outra característica é que a LoT é altamente dependente dos sistemas de telecomunicações e informação que a suporta, pois é possível considerar o pleno uso do ambiente de LoT sem levar em consideração as características, qualidades, velocidade e confiabilidade das redes.

Aplicações e impactos esperados

Setor Objetivo Tecnologia usada Impacto
Propriedade rural Coletar e eniar informações sobre umidade, luz solar, chuva, cultivo e solo, etc.

Permitindo agricultura de precisão:

– plantio de precisão;

– aplicação de fertilizantes

– pulverização;

– irrigação.

Sensores, drones, satélites, conectados e eventualmente tratores autônomos. Análise de dados, servidores de banco de dados, sistemas de nuvem. – Aumento da produtividade;

– Maior eficiência no uso de fertilizantes e insumos;

– Menores custos de produção.

 

Pecuária Monitoramento de cercas; Rastreamento e monitoramento:

– rastreamento de saúde animal

– ciclos de parto;

– localização;

– gestão de pastoreio;

– gestão da alimentação;

– evolução do ganho de peso, etc.

Sensores, drones, equipamentos para rastreamento por GPS. Análise de dados, servidores de banco de dados, sistemas de nuvem. – Aumento da produtividade

– Detecção precoce de surtos de doenças;

– Uso de rações mais eficiente (potencial para menor necessidade alimentar);

– Identificação de animais de menor potencial produtivo, etc.

Fonte: adaptado de IBM (2016).


EXEMPLO DE USO DE IoT

Internet das Coisas monitora produtividade e bem-estar animal em sistemas de ILPF

Por meio de uma parceria firmada entre a Embrapa, a Huawei e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) vão ser desenvolvidas aplicações tecnológicas para uso-piloto, que buscam melhorar a gestão e a produção em sistemas de integração. As empresas parceiras são responsáveis pela instalação da infraestrutura de conectividade, sensores de IoT e plataforma computacional, além de apoiar o desenvolvimento das soluções. A pesquisa terá duração de 12 meses e vai até abril de 2022, com orçamento de R$ 1,2 milhão.

Sensores de Internet das Coisas (uma tradução literal da expressão em inglês Internet of Things – IoT), colares inteligentes e balança de passagem serão usados de forma integrada para monitorar uma série de indicadores de produtividade, ambientais e de bem-estar animal em sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). Com isso, serão geradas tecnologias baseadas em modelos de Inteligência Artificial (IA) desenvolvidos pela Embrapa, usando como insumos os dados coletados pelos sensores e pela rede IoT, para apoio à tomada de decisão dos produtores.

Fonte: Embrapa

REFERÊNCIAS E LINKS RELACIONADOS

EIXAS, M. A.; CONTINI, E. Internet das coisas (IoT): inovação para o agronegócio. Brasília, DF: Secretaria de Inteligência e Macroestratégia, 2017. (Embrapa. Secretaria de Inteligência e Macroestratégia. Diálogos Estratégicos, novembro 2017).

 

Agronegócio

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu