Informe-se e compartillhe! Sobre o mundo agro: Monitoramento de lavoura, mercado, clima, eventos e cursos agro

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

Neste post publicamos itens gerais referentes ao mundo do agronegócio, entre eles: monitoramento das lavouras, informações sobre mercado e economia, previsões de chuva e clima em todas as regiões do Brasil, diversos cursos e eventos agro.

GERAIS

Monitoramento Semanal das Condições das Lavouras (atualizado em 26 de fevereiro de 2024)

Exportação de grãos no Brasil: como funciona, tipos, e como fazer

Fonte da imagem: narwalsistemas 29/02/2024

Destaques da semana

Arroz – Taxa de colheita registrada em 5,9%. No Rio Grande do Sul, as condições climáticas foram propícias, resultando em melhorias no desenvolvimento das lavouras, com predominância das fases de floração e enchimento de grãos. Em Santa Catarina, o processo de colheita progride em áreas que foram semeadas posteriormente. No Maranhão, nas regiões de cultivo de arroz de sequeiro, a semeadura está em andamento. Em Goiás, a colheita continua nas áreas de tabuleiros, enquanto as demais áreas irrigadas estão em bom desenvolvimento. No Tocantins, a colheita está avançando, e observa-se uma certa irregularidade na maturação. Em Mato Grosso, a colheita está em progresso, com a qualidade dos grãos sendo notavelmente boa.

Algodão  – Percentual de semeadura alcançado: 99,5%. Em Mato Grosso, as condições climáticas estão favoráveis, especialmente durante a fase de floração. Neste estágio, é crucial um manejo fitossanitário controlado para lidar com o bicudo-do-algodoeiro e os percevejos. Na Bahia, as lavouras estão apresentando um bom desenvolvimento. No entanto, o plantio das lavouras irrigadas está atrasado.

Feijão 1ª safra – Taxa de colheita registrada em 40,2%. No Paraná, a irregularidade das chuvas ao longo do ciclo, inclusive durante a colheita, tem causado danos à qualidade dos grãos. Na Bahia, nas regiões Oeste e Centro-Norte, as lavouras estão se desenvolvendo bem, apesar da presença de pragas. Nas regiões Centro-Sul, as condições climáticas são favoráveis para o manejo. No Piauí, o processo de semeadura está progredindo lentamente na região Norte, onde as chuvas são mais irregulares. Por outro lado, as áreas do Sul estão em condições melhores. Em Minas Gerais, as chuvas estão afetando o ritmo da colheita. No Rio Grande do Sul, as lavouras do Planalto Superior estão em fase final de ciclo e apresentam bom progresso. Entretanto, a colheita está mais lenta nas áreas de cultivo mais tardio.

Milho 1ª Safra21,4% da safra já foi colhida. Em Minas Gerais, as plantações estão apresentando um desenvolvimento abaixo do esperado, especialmente na região Norte. No Rio Grande do Sul, apesar das chuvas irregulares e insuficientes, estas acabaram beneficiando as lavouras. Na Bahia, nas regiões Oeste e Centro-Norte, as plantações estão apresentando um bom desenvolvimento, mas a incidência de pragas está afetando o rendimento. No Piauí, o plantio foi concluído, e as plantações estão em boas condições. No Paraná, o progresso da colheita diminuiu em quase todo o estado devido às chuvas frequentes. Em São Paulo, a colheita está avançando mais lentamente devido às chuvas. Em Santa Catarina, a diminuição das chuvas tem favorecido a colheita. No Maranhão, a semeadura ainda está em andamento em diversas regiões do estado. Em Goiás, a qualidade das plantações varia de regular a boa. No Pará, as plantações estão em condições regulares.

Milho 2ª SafraPercentual de semeadura alcançado: 59,0%. Em Mato Grosso, apesar das chuvas constantes, a semeadura avançou e as lavouras estão se desenvolvendo bem. No Paraná, as chuvas favoreceram o armazenamento de água no solo, mas reduziram a velocidade de semeadura. Em Mato Grosso do Sul, a baixa disponibilidade de água no solo tem atrasado a semeadura, porém as lavouras estão se desenvolvendo bem. Em Goiás, o plantio está acontecendo em um ritmo acelerado e as lavouras estão com bom desenvolvimento. Em Minas Gerais, a semeadura está progredindo, mas há presença de cigarrinha. No Tocantins, o plantio está avançando. No Maranhão, na região Sul, a semeadura está progredindo. No Pará, o plantio começou nas regiões de Redenção e na região da BR-163.
Soja – Taxa de colheita registrada em 38%. Em Mato Grosso, as precipitações frequentes não têm prejudicado a evolução da colheita. No Paraná, a colheita avançou. No Rio Grande do Sul, as precipitações, mesmo em volumes baixos, favoreceram a recuperação das lavouras que estavam sofrendo com déficit hídrico. Em Mato Grosso do Sul, o clima mais seco antecipou o ciclo e permitiu um avanço rápido na colheita. Em Minas Gerais, a chuva reduziu a velocidade da colheita, impactando principalmente as lavouras que foram afetadas pelo clima adverso. Na Bahia, as lavouras estão com bom desenvolvimento. A colheita das lavouras irrigadas está progredindo lentamente. Em São Paulo, a colheita está em andamento e há variação nas produtividades. No Tocantins, as chuvas generalizadas influenciaram no ritmo da colheita. No Maranhão, as lavouras da região Leste estão praticamente colhidas, porém, na região Sul, as chuvas estão freando o avanço da colheita. No Piauí, as lavouras estão em bom desenvolvimento, com a maioria em fase de enchimento de grãos. No Pará, a colheita está em andamento e, de forma geral, as lavouras estão em boas condições.
Fonte: CONAB. Boletim de monitoramento semanal das condições da lavoura de 26/02/2024

Mercado e Economia Agro: Queda no preço da soja em fevereiro

cotação sojaO Rabobank Brasil divulgou um relatório em fevereiro que aponta uma queda de 7,9% no preço da soja. O documento também analisa a situação da soja e do milho, além de projetar o volume da safra 23/24.

No mês de janeiro, as exportações brasileiras de soja totalizaram 2,9 milhões de toneladas métricas, representando um aumento de 240% em relação ao ano anterior. Esse crescimento foi impulsionado pelo avanço da colheita, o que facilitou os embarques da oleaginosa, como destacado pela instituição.

No que diz respeito ao milho, as remessas alcançaram 4,9 milhões de toneladas, registrando uma queda de 20% em relação a dezembro de 2023. Essa redução nas exportações foi atribuída à maior concorrência com os Estados Unidos.

O relatório menciona que a colheita de soja está progredindo rapidamente, ultrapassando o ritmo observado em 2023 e a média dos últimos cinco anos. Isso está permitindo que os agricultores realizem o plantio da safrinha dentro da janela ideal.

Por fim, o Rabobank revisou suas estimativas de produção de soja para 153 milhões de toneladas, o que representa uma redução de 10 milhões de toneladas em relação às estimativas iniciais feitas no início da safra 23/24.

Fonte da imagem e do texto: canal rural 29/02/2024

O mapa abaixo expressa a previsão de chuvas para março de 2024

Previsão para março aponta possíveis ondas de calor, chuvas abaixo da média e fim de verão 'abafado' no Brasil | Meio Ambiente | G1

O último mês do verão promete ser marcado por altas temperaturas em todo o país. Segundo a Climatempo, março será caracterizado por um calor intenso, com a umidade elevada contribuindo para um clima abafado em grande parte do Brasil.

Os meteorologistas alertam para a possibilidade de novas ondas de calor, especialmente devido à entrada de massas de ar quente provenientes de países vizinhos como Argentina e Paraguai.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) também antecipa um mês com chuvas abaixo da média em grande parte das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sul. No Sudeste, a previsão indica pancadas de chuva mais pontuais.

Fonte: G1 29/02/2024

Boletim meteorológico  (21 a 25 de fevereiro de 2024)

Na última semana, na Região Norte do Brasil, os maiores volumes de chuva foram registrados em áreas do Amapá e na divisa do Amazonas com o Acre, onde os valores excederam 130,0 mm. Destacam-se Oiapoque (AP), com acumulado de 197,4 mm, Boca do Acre (AM), com 166,4 mm, e Rio Branco (AC), com 164,6 mm. No norte do Amazonas, em Roraima e no oeste do Pará, não foram observados volumes significativos de chuva. Nas demais áreas, os acumulados ficaram abaixo de 100 mm.

Na maior parte da Região Nordeste, houve registro de chuvas intensas, ultrapassando 80,0 mm nos últimos cinco dias, com destaque para São João do Piauí (PI), com 234,8 mm, Parnaíba (PI), com 210,0 mm, e São Luís (MA), com 179,2 mm. Em áreas específicas de Alagoas, não foram registrados acumulados nos últimos dias.

Nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, os maiores volumes de chuva se concentraram em áreas de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso, com valores acima de 120,0 mm. Destaca-se as estações meteorológicas de Minas Gerais, como em Pirapora (MG), com 210,6 mm, Caldas (MG), com 197,2 mm, e Salinas (MS), com 150,0 mm. Nas demais áreas das regiões, os acumulados ficaram abaixo de 80,0 mm. Em áreas específicas de Mato Grosso, não houve registro de acumulado de chuva nos últimos cinco dias.

Por sua vez, na Região Sul, os maiores acumulados de chuva foram observados em áreas do Paraná e Santa Catarina, com destaque para Morretes (PR), com 150,8 mm, Itapoá (SC), com 83,6 mm, e Inácio Martins (PR), com 73,4 mm. No Rio Grande do Sul, não foram observados acumulados de chuva nos últimos dias.

Fonte de texto: INMET: Informativo Meteorológico nº 7/2024

Eventos e cursos do Agro
                                                                                                                                                           
                                                                                                                                                                  DATA DE INÍCIO: 05 de março de 2024 – 09:00
CATEGORIA: Curso
Mais informações e inscrições: Agroagenda 29/02/2024
Evento gratuito e online 
DATA DE INÍCIO: 06 de março de 2024 08:00
CATEGORIA: Curso
Mais informações e inscrições: Agroagenda 29/02/2024
Evento gratuito e online

 

DATA DE INÍCIO: 08 de março de 2024 08:00
CATEGORIA: Curso
Mais informações e inscrições: Agroagenda 29/02/2024
Evento presencial e gratuito 
DATA DE INÍCIO: 21 de março de 2024 08:00
DATA DE TÉRMINO: 21 de março de 2024 18:00
CATEGORIA: Conferência PRESENCIAL
Mais informações e inscrições: Agroagenda 16/02/2024
                                                                                                                                 
DATA DE INÍCIO: 08 de março de 2024 16:00
CATEGORIA: Congresso
LOCAL: Espírito Santo – Oásis Festas Eventos – R. Dr. Eurico de Aguiar, 855 – Santa Lucia, Vitória – ES, 29056-264
Mais informações e inscrições: Agroagenda 29/02/2024
Evento gratuito e presencial
DATA DE INÍCIO: 05 de março de 2024 – 20:00
DATA DE TÉRMINO: 05 de março de 2024 – 21:00
CATEGORIA: Live
Mais informações e inscrições: Agroagenda 29/02/2024
Evento online e gratuito 

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: algodão, clima, Cursos e eventos agro, feijão, mercado e economia, milho, Previsão de chuva, Safra, soja

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
LinkedIn
YouTube
Instagram