EspecialistasMsc. Priscila Amaro
0

Detalhes do manejo químico de nematoides

MANEJO QUÍMICO DE NEMATOIDES

O uso de produtos nematicidas químicos é uma das ferramentas disponíveis dentro do manejo integrado de nematoides.

É sempre importante reforçar que o manejo integrado de nematoides consiste no uso de ferramentas combinadas, principalmente em áreas com mistura de espécies e altas densidades de fitonematoides.

O manejo químico para nematoides é uma ótima ferramenta a fim de, garantir estabelecimento de stand inicial de plantas, menor multiplicação dos nematoides no inicio do ciclo da cultura, que garante melhor desenvolvimento e mais tolerância da planta em relação ao parasitismo dos nematoides após o período residual dos produtos.

O objetivo desse artigo é mostrar como utilizar os nematicidas químicos, bem como, suas principais características.

1. MANEJO QUÍMICO, O QUE É?

Nematicidas químicos são produtos formulados através de moléculas químicas que agem por contato ou de forma sistêmica, a fim de reduzir população das espécies nas áreas infestadas.

Os produtos considerados nematicidas são utilizados a muitos anos (1900), com o passar do tempo, novos produtos e grupos químicos vem surgindo, inovando esse tipo de controle. Ocorreu uma primeira geração de produtos (Imagem 1) conhecidos como nematicidas fumigantes (1900-1970), que são altamente tóxicos, não seletivos, com característica biocida (age em todos os microrganismos, inclusive nematoides). A partir da década de 70, iniciou-se a segunda geração com produtos considerados não fumigantes, sendo menos tóxicos, grupos químicos diferentes, efeito nematostático e mais seletivos (agem somente no nematoide).

E mais recentemente novos grupos químicos também passaram a ser utilizados, com características importantes, principalmente por serem menos tóxicos.

Figura 1. Evolução do controle químico de nematoides (Nema no Campo)

2. APLICAÇÃO DOS PRODUTOS

Os nematicidas são aplicados via tratamento de sementes (TS), sulco de plantio e pulverizado no solo.

Os produtos tem período residual de no máximo 40-45 dias, isso significa que os nematicidas químicos são eficientes no período inicial da cultura, reduzindo mais de 90% da penetração dos nematoides nesse período, visto que, para um produto ser registrado no MAPA, é necessário eficiência de controle para o alvo (nematoide) de mais de 90%.

Por isso que o manejo químico assim como as outras ferramentas de manejo de nematoides, devem ser planejadas e é necessário entender como elas funcionam.

O uso de nematicidas químicos não é uma “blindagem”, o seu uso não é suficiente para exterminar os nematoides de uma área, visto que isso é praticamente impossível, o uso da ferramenta garante uma melhor convivência com os nematoides.

Outra informação importante é que o tratamento com os nematicidas químicos é recomendado para a semeadura em culturas anuais, seja via tratamento de semente ou sulco de plantio, depois da cultura implantada, o manejo não pode ser feito. Já em culturas perenes, os produtos podem ser aplicados pulverizados no solo, em épocas especificas, isso Todos os nematicidas químicos com registro no MAPA devem ter a informação da cultura e alvo (nematoide), diferente dos produtos biológicos que até o momento possuem registro somente para o alvo e podem ser utilizados em qualquer cultura em que ocorra o alvo, para os químicos é diferente, motivo esse devido a possível fitotoxidade a algumas culturas, por isso, os testes devem ser feitos também nas culturas em que poderão ser aplicados.

3. INGREDIENTE ATIVOS REGISTRADOS NO MAPA E MODO DE AÇÃO

Os nematicidas registrados atualmente (Tabela 1) podem agir principalmente no sistema nervoso e quimiorreceptor do nematoide e também na musculatura. Normalmente os produtos deixam os nematoides desorientados e paralisados no solo e os mesmos acabam morrendo por inanimação (fome), não conseguem ir ao encontro da planta hospedeira, em alguns casos essa paralisia ocorre por algum tempo e em alguns casos é definitiva.

Sabe-se o modo de ação da abamectina que se dá pela ação na enzima acetilcolinesterase causando paralização do impulso elétrico entre célula e músculo deixando o nematoide paralisado e também pode causa insuficiência respiratória agindo na enzima ATP formando uma neurotoxina.

Outros dois grupos químicos apresentam o mesmo modo de ação, os organofosforados e carbamatos também agem acetilcolinesterase causando cessão dos impulsos nervosos que paralisam o nematoide, os modos de ação dos demais grupos não são totalmente esclarecidos.

Tabela 1. Ingredientes ativos registrados como nematicidas químicos no MAPA (2021)

Ingrediente ativo Grupo químico
Abamectina Avermectina
Tiodicarbe Metilcarbamato de oxima
Carbossulfano Metilcarbamato de benzofuranila
Terbufós Organofosforado
Fostiazato Organofosforado
Cadusáfos Organofosforado
Fluopiram Benzamida piramida
Fluazinam + Tiofanato metílico Fenilpiridinilamina + Benzimidazol
Fluensulfona Fluoroalquenil sulfona hetecíclica

4. EFICIÊNCIA DOS PRODUTOS X MANEJO

Os produtos como já relatado anteriormente reduzem mais de 90% da penetração dos nematoides, isso é ótimo para o estabelecimento da cultura, principalmente em áreas com mistura de espécies e altas densidades, mas vale ressaltar que uma pequena porcentagem desses nematoides conseguem penetrar nas raízes e se desenvolver normalmente, depois do período residual, não existe nenhuma proteção, os nematoides tem livre acesso as raízes.

Exemplo prático: A cultura da soja, tem um ciclo de mais ou menos 120 dias, sabendo que o ciclo do nematoide é de 30 dias aproximadamente, usando manejo químico, a cultura será protegida nos primeiros 30 dias, restam ainda 90 dias para o nematoide se multiplicar, por isso os produtos químicos muitas vezes não reduzem FR (fator de reprodução) do nematoide durante o ciclo. Em situações de altas densidades é importante utilizar outras ferramentas de manejo combinadas, para o período pós-residual, como o uso de cultivares resistentes e produtos biológicos que agem durante todo o ciclo.

5. CONSIDERAÇÕES

Os nematicidas químicos podem ser uma ótima opção dentro do manejo integrado de nematoides, garantindo proteção da cultura em seu estabelecimento, é importante combinar métodos em situações específicas, principalmente em áreas com altas densidades de nematoides e mistura de espécies.

O manejo de convivência é mais assertivo para problemas com nematoides.

6. BIBLIOGRAFIA E LINKS RELACIONADOS

– BROWN, D.J.F.; FERRAZ, L.C.C.B. Nematologia das plantas: fundamentos e importância. Manaus: Norma Editora, 2016. 251 p. Disponível em: http://www.nematologia.com.br/files/livros/1.pdf

– FERRAZ, S.; FREITAS, L.G.; LOPES, E.A.; DIAS-ARIEIRA, C.R. Manejo Sustentável de Fitonematoides. Viçosa: Editora UFV, 2011. 304p. Disponível para compra em: https://www.editoraufv.com.br/produto/manejo-sustentavel-de-fitonematoides/1108956

– AGROFIT, Nematicidas químicos registrados 2021. Disponível em: http://agrofit.agricultura.gov.br/agrofit_cons/principal_agrofit_cons

 

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

dezembro 2021
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu