BioinsumosCuradoriaIndução de resistência
0

Auras®: Indução de resistência à seca

Auras®: Indução de resistência à seca

Uma pesquisa de mais de 12 anos desenvolvida pela Embrapa Meio Ambiente e a NOOA Ciência e Tecnologia Agrícola, deu origem ao primeiro produto comercial destinado a mitigar os efeitos causados pelo estresse hídrico em plantas.

O Auras® é capaz de reduzir os efeitos causados pelas estiagens prolongadas, minimizando riscos e expressando o potencial das lavouras.

1. A PESQUISA

A pesquisa que deu origem ao Auras® teve início em 2009, com um trabalho de prospecção e caracterização da biodiversidade de microrganismos da Caatinga. Esse trabalho originou a Coleção de Microrganismos de Importância Agrícola e Ambiental, com quase 20 mil isolados de fungos, bactérias, leveduras, arqueias e actinobactérias.

Já em 2016, por meio de parceria entre a Embrapa Meio Ambiente e a Embrapa Semiárido, surgiu a ideia de pesquisar a mitigação da seca por bactérias benéficas. Nessa pesquisa, foram coletadas amostras ao longo da Caatinga, em cinco estados: Bahia, Ceará, Piauí, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Durante esse processo, os pesquisadores perceberam que as comunidades bacterianas sofriam alteração dependendo do regime de chuvas, se chuvoso ou seco, o que os permitiu identificar potenciais microrganismos responsáveis pela resiliência ao estresse hídrico.

2. ESPÉCIES DA CAATINGA

A Caatinga é um bioma do Semiárido brasileiro, constituído por árvores e arbustos altamente adaptados ao clima quente e seco. Essas plantas desenvolveram mecanismos de adaptação como tecidos suculentos para o estoque de água e espinhos longos para reduzir a perda de água.

O estudo da Embrapa buscou identificar as bactérias associadas às cactáceas da Caatinga e ao analisar a estrutura das comunidades bacterianas do solo e da rizosfera do mandacaru (Cereus jamacaru) durante a alteração do período chuvoso para o de seca, foram identificados grupos dominantes na interação solo-cacto-microrganismo durante o período de seca.

Os resultados identificaram rizobactérias capazes de mitigar os efeitos do estresse hídrico além de propiciar maior promoção do crescimento dessas espécies vegetais. Essas rizobactérias têm forte impacto em vários mecanismos de tolerância ao estresse, os quais, em conjunto, resultam na melhoria dos processos das células que atuam para mitigar o estresse.

As bactérias do gênero Bacillus, foram capazes de se desenvolver com reduzida atividade de água utilizando alguns mecanismos de proteção contra a dessecação, como a produção de exopolissacarídeos e biofilme.

Além disso, várias linhagens apresentaram mecanismos de promoção de crescimento de plantas diretos ou indiretos, como produção de fito-hormônio, disponibilização de fósforo por meio de solubilização, fixação de nitrogênio e redução dos efeitos negativos do estresse causados por etileno.

Por fim, foi identificada na rizobactéria Bacillus aryabhattai a capacidade de promover o crescimento de plantas de milho sob estresse hídrico, incrementando alguns parâmetros vegetais analisados.

Figura 1. Crescimento de plantas de milho sob estresse hídrico (30% da capacidade do campo). A – Planta não inoculada; B e D – plantas inoculadas com duas cepas diferentes de Bacillus spp., LMA52 e LMA3, respectivamente. C – planta inoculada com uma cepa de Pantoea sp. (LMA28) (KAVAMURA et al., 2013).

3. MODO DE AÇÃO DA BACTÉRIA

As rizobactérias tolerantes à seca, ao colonizar o sistema radicular das plantas sob estresse abiótico, produzem substâncias que hidratam as raízes, chamadas exopolissacarídeos. Para que os microrganismos cheguem às plantas, é feito um procedimento simples na hora de plantar, essas bactérias são misturadas às sementes por ocasião do plantio, em uma suspensão líquida, que pode ser água.

4. AURAS®

O Auras® é um produto comercial que atua como um redutor dos efeitos do estresse hídrico, com as seguintes características:

  • Otimiza o uso da água pela planta;
  • Possibilita maior expressão do potencial produtivo;
  • Promove maior estabilidade do ambiente biológico do solo;
  • Retomada mais rápida do ciclo produtivo após eventos de estresse. 

5. RECOMENDAÇÃO DE USO

  • Cultura recomendada: Milho
  • Recomendação de aplicação: Tratamento de sementes.
  • Dose recomendada: utilizar 4 mL/kg sementes de milho.

Ativo

Classe Concentração
Bacillus aryabhattai CMAA 1363 Inoculante

1×108­ UFC/mL

UFC: Unidade Formadora de Colônia.

6. ONDE ENCONTRAR ESSE PRODUTO?

O Auras® é comercializado exclusivamente pela NOOA Ciência e Tecnologia Agrícola.

7. CONSIDERAÇÕES

O Auras® é mais um exemplo do rumo que a agricultura moderna vem tomando. Atualmente busca-se uma agricultura sustentável, alicerçada no desenvolvimento de tecnologias voltadas ao equilíbrio dos agroecossistemas e que utiliza como modelo os próprios ecossistemas naturais, de forma a minimizar os impactos ambientais.

8. BIBLIOGRAFIA E LINKS RELACIONADOS

KAVAMURA, V. N.; et al. Screening of Brazilian cacti rhizobacteria for plant growth promotion under drought. Microbiological Research, 168:4, P.183-191, 2013. Disponível em: https://reader.elsevier.com/reader/sd/pii/S0944501312001413?token=5DC988F622B751BBF88F8A42B36AC84A2EC67A9E934EBAC0DAB612B8A4D8048BE185EC29341D12A900A51BF61716A824&originRegion=us-east-1&originCreation=20210531205410

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , , , , , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

outubro 2021
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu