Agricultura de baixa emissão de carbono em regiões semiáridas

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

(Curadoria Agro Insight)

A Embrapa Semiárido (Petrolina, PE) acaba de lançar o livro ‘Agricultura de baixa emissão de carbono em regiões semiáridas – Experiência brasileira’.  A obra está disponível para download gratuito na Biblioteca Virtual da Embrapa.

O livro descreve algumas estratégias e práticas agrícolas que podem ser utilizadas como tecnologias de baixa emissão de carbono e contribuem para a construção de agroecossistemas sustentáveis.

A publicação, que tem como editoras técnicas as pesquisdadoras Vanderlise Giongo, da Embrapa Trigo (Passo Fundo, RS), e Francislene Angelotti, da Embrapa  Semiárido (Petrolina, PE), reúne 45 autoras e autores de seis Unidades da Embrapa e instituições parceiras.

Um dos caítulos conta com a participação de três pesquisadores e um analista da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), que há anos vêm atuando na Rede de Pesquisas em ILPF no desenvolvimento e validação de sistemas integrados adaptados ao Nordeste.

O capítulo 9, intitulado ‘Sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta para o Semiárido’, escrito em conjunto com o pesquisador Rafael Dantas, da Embrapa Semiárido, tem coautoria dos pesquisadores José Henrique Rangel, Evandro Muniz e Ubiratan Piovezan, além do analista Samuel Souza.

No capítulo, os autores contextualizam e caracterizam as regiões do Semiárido e Agreste e conceituam, apontam a importância, os benefícios e a viabilidade dos sistemas ILPF para o Nordeste, destacando a leguminosa gliricídia como componente importante no desenho desses sistemas integrados adaptados à região.

A chefe-geral da Embrapa Semiárido, Auxiliadora Lima, destaca que, além de apresentar as pesquisas desenvolvidas no Semiárido, o livro traz análise e elementos para a proposição de políticas públicas, associadas à necessidade de aumentar a capacidade adaptativa e mitigatória da sociedade e da economia regional diante das mudanças climáticas.

“Essas informações e o avanço do conhecimento contextualizado que foram reunidos neste livro poderão contribuir para o fortalecimento da capacidade de condução de sistemas agrícolas sustentáveis em regiões semiáridas para fazer frente aos cenários climáticos”, conclui.

Agricultura de baixa emissão de carbono em regiões semiáridas – Experiência brasileira’

Apresentação

O aumento da concentração dos gases de efeito estufa (GEE) a partir da revolução industrial se tornou um alerta para as atividades antrópicas. Ampliando-se o grau de informação sobre as consequências que as emissões desses gases têm para a vida no planeta, a opção por estratégias de produção que resultem em mínimo impacto ambiental tornou-se uma necessidade. Fortalecendo o conceito e a perspectiva da sustentabilidade, o presente livro traz, à luz da visão sistêmica, interconectada e interdependente, os fatores, fenômenos e processos que ocorrem no Semiárido brasileiro para desenvolver uma agricultura de baixa emissão de carbono.

Nessa ótica, a pesquisa tem tido um papel importante para promover a sustentabilidade, nas ver- tentes ambiental, econômica e social, frente aos impactos negativos dos cenários climáticos sobre os ambientes naturais e os sistemas agropecuários. Entretanto, a partir desse desafio, surgiram no- vas oportunidades, por meio da integração de ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação, resultando na proposição de tecnologias que promovem a adaptação dos sistemas de produção e contribuem para a segurança alimentar e o controle das emissões dos GEE.

Tecnologias e práticas sustentáveis são alternativas imperativas para aumentar o estoque de carbono e reduzir os impactos das mudanças climáticas, aumentando a produtividade dos agroecossistemas no Semiárido. Este livro descreve algumas estratégias e práticas agrícolas que podem ser utilizadas como tecnologias de baixa emissão de carbono e contribuem para a construção de agroecossistemas sustentáveis. Entre elas, destacam-se a seleção de espécies de plantas tolerantes aos estresses bióticos e abióticos, uso de condicionadores de solo com múltiplas funções, adoção de sistemas de plantio direto, uso de adubos verdes (coquetel vegetal), tecnologias para estocar água e melhorar sua eficiência e produtividade, a incorporação de fontes energéticas renováveis, experiências de integração lavoura-pecuária-floresta e desenhos de agroecossistemas multifuncionais. Todas essas estratégias precisam ser analisadas e integradas às estruturas edafoclimática, econômica, política e social do Semiárido.

Além de apresentar as pesquisas desenvolvidas no Semiárido, o livro traz análise e elementos para a proposição de políticas públicas, associadas à necessidade de aumentar a capacidade adaptativa e mitigatória da sociedade e da economia regional diante das mudanças climáticas. Essas informações e o avanço do conhecimento contextualizado que foram reunidos neste livro poderão contribuir para o fortalecimento da capacidade de condução de sistemas agrícolas sustentáveis em regiões semiáridas para fazer frente aos cenários climáticos.

Maria Auxiliadora Coêlho de Lima (Chefe-Geral da Embrapa Semiárido)

Sumário

Capítulo 1 – Uso e ocupação das terras semiáridas: um resgate histórico e perspectivas de médio e longo prazo
Capítulo 2 – Território das secas e da convivência: trajetórias socioeconômicas e políticas da resistência sertaneja no Semiárido brasileiro
Capítulo 3 – O clima no Semiárido do Nordeste do Brasil: tendências atuais e futuras
Capítulo 4 – Recurso água: uma análise de limitações e potencialidade para a agricultura
Capítulo 5 – A crise ambiental no Semiárido: a perspectiva do pensamento sistêmico
Capítulo 6 – Solos do Semiárido: características e estoque de carbono
Capítulo 7 – Estratégias para sequestro de carbono: experimentação de modelos
Capítulo 8 – Fundamentos para o desenho de agroecossistemas multifuncionais adaptados às condições de semiaridez
Capítulo 9 – Sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta para o Semiárido
Capítulo 10 – Estratégias de mitigação dos efeitos das alterações do clima no Semiárido brasileiro e adaptação dos sistemas produtivos pecuários
Capítulo 11 – Sementes nativas da Caatinga e clima futuro
Capítulo 12 – Biotecnologia para a geração de plantas tolerantes à seca em um cenário de mudanças climáticas
Capítulo 13 – Estratégias de adaptação para o manejo de doenças de plantas em regiões semiáridas sob os impactos das mudanças climáticas
Capítulo 14 – Condicionadores de solo como estratégia tecnológica à preservação: potencialidade do uso de biocarvão em regiões semiáridas
Capítulo 15 – Energias renováveis: estratégia para o desenvolvimento sustentável
Capítulo 16 – Planos para o desenvolvimento sustentável do Semiárido brasileiro

 

Para acessar e baixar o livro, clique aqui

 

A Rede ILPF

A Associação Rede ILPF é formada e co-financiada pelas empresas Bradesco, Cocamar, John Deere, Soesp, Syngenta e pela Embrapa. foi iniciada em 2012 e tem o objetivo de acelerar uma ampla adoção das tecnologias de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) por produtores rurais como parte de um esforço visando a intensificação sustentável da agricultura brasileira.

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: abc, Agricultura de baixo carbono, gliricídia, ilpf, nordeste, semiarido

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

maio 2024
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram