AçaiMercadoSegurança alimentar
0

Açaí: “Ouro Negro” do Amazonas recebe selo de Indicação Geográfica

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

Com ajuda do Sebrae, o Açaí de Codajás foi reconhecido pelo INPI e agora conta com registro de Indicação de Procedência

O Açaí de Codajás recebeu o registro da 122ª Indicação Geográfica concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O novo título, na categoria Indicação de Procedência (IP), vai para a região de Codajás, no Amazonas, que ficou conhecida como centro de extração e produção de açaí.

Açaí de Codajás (AM) passa a ser mais um produto da Amazônia Ocidental com registro de Indicação Geográfica — Suframa

Na prática, o selo conquistado após quatro anos de trabalho em parceria com o Sebrae e demais organizações é um reconhecimento oficial de Indicação de Procedência concedido à região que se tornou conhecida em função das características únicas do seu açaí.

O município de Codajás é denominado culturalmente como a “Terra do Açaí”. A região possui vegetação e clima favoráveis à produção, estando na lista dos maiores mercados nacionais do fruto. Essas características geram emprego e renda para cidade, que até 1938 consistia em uma aldeia indígena com o mesmo nome.

Conhecido como “ouro negro” pelos moradores da região, o açaí de Codajás foi dominante no Amazonas nos anos de 2018, 2019, 2020 e 2021, movimentando mais de R 31 milhões na economia. Somente no município, 70% da população atua em atividades indiretas relacionadas à produção e escoamento do açaí e cerca de 600 produtores trabalham de forma direta com o produto.

Para a analista de inovação do Sebrae, Hulda Giesbrecht, a conquista é merecida e comprova que o açaí de Codajás é uma iguaria de grande importância tanto para a economia quanto para a cultura da cidade amazonense.

“Esse produto possui grande relevância socioeconômica na atividade produtiva e extrativa para o município de Codajás, seja pelo número expressivo de famílias envolvidas, pela adoção de práticas sustentáveis ou pelo reconhecimento cultural, sendo fatores que contribuem para o desenvolvimento regional”, comenta a especialista.

No ano passado, o açaí do município de Feijó, no Acre havia sido o primeiro registro de Indicação Geográfica para esse produto no Brasil. O açaí da região foi considerado por especialistas como diferenciado devido à sua espessura mais consistente e sabor mais adocicado.

7ª Indicação Geográfica do Amazonas

No Brasil, o selo de Indicação Geográfica é conferido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), do Governo Federal. O reconhecimento é concedido a uma região que ficou conhecida ou apresentou vínculos relativos à qualidade e características de um produto ou serviço, conforme estabelecido na Portaria INPI/PR Nº 4, de 12 de Janeiro de 2022.

Atualmente, o Amazonas possui sete IGs: farinha de Uarini, peixes ornamentais do Rio Negro, abacaxi de Novo Remanso, pirarucu de Mamirauá, guaraná de Maués e Andirá-Marau (guaraná dos indígenas), cuja área contempla parte de municípios do leste amazonense e do Pará, e agora o Açaí de Codajás.

Fonte da imagem: Gov.br 01/04/2024

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: Açai, Amazonas, Indicação Geográfica, inpi, ouro negro

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
LinkedIn
YouTube
Instagram