Notícias
0

Principais Notícias da Semana no Mundo Agro

noticias agro

Veja as principais notícias da semana no mundo Agro.

Acompanhe na integra as principais notícias do mundo agro no nosso Portal. Fique informado e compartilhe nas suas redes sociais.

GERAIS

Banco do Brasil aumenta o recurso para financiamentos rurais

O incremento de recursos tem como objetivo apoiar a ampliação da tecnologia, da sustentabilidade e da infraestrutura no campo.

Programa BB Investimentos Agro

O Banco do Brasil lançou o Programa BB Investimentos Agro, com volume total de R$ 8,5 bilhões. Pelo Programa, R$ 5,5 bilhões serão destinados para financiamentos de energia renovável, irrigação, produção integrada, recuperação de pastagem, máquinas e equipamentos.

Para a armazenagem, foram disponibilizados R$ 2 bilhões com o objetivo de financiar a modernização e aquisição de silos e armazéns e mais R$ 1 bilhão para atender pequenos e médios produtores com o BB Consórcio Armazenagem.

Geadas – Apoio aos Produtores – R$ 2 bilhões

Além dos recursos para investimentos, o banco ainda irá disponibilizar R$ 2 bilhões para amenizar os efeitos das geadas. O volume financiará a recuperação de cafezais danificados e a renovação de lavouras afetadas.

Ouça a matéria na Rádio Mapa

Fonte: Mapa

Compra do milho Balcão deve ser realizada com apresentação da DAP

Para a compra do milho da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) por meio do Milho Balcão é necessário apresentar a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP).

A inclusão deste documento se tornou obrigatória a partir da publicação da Medida Provisória (MP) 1.064/2021. Agora o criador só poderá realizar a compra de milho mediante apresentação da DAP.

Para conseguir a DAP, o criador deve ir até uma entidade ou empresa de assistência técnica credenciada pela Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural, levando consigo documentos como CPF e outras informações de seu estabelecimento familiar (área, número de pessoas residentes, composição da força de trabalho e da renda e endereço completo).

A declaração pode ser requerida também nos sindicatos de trabalhadores rurais, nas associações de agricultores familiares, nas associações e colônias de pescadores e aquicultores credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). No caso de beneficiários da reforma agrária, a DAP pode ser solicitada também em uma unidade do Incra.

O Milho Balcão tem como objetivo promover o acesso do pequeno criador de animais ao estoque público de milho.

Fonte: Conab

Seguro agrícola: Indenizações chegaram a R$ 1,7 bilhão no primeiro semestre

Os valores em indenizações destacam a importância do seguro agrícola.

Até julho de 2021, o valor de sinistros no seguro rural totalizou R$ 1,7 bilhão, de acordo com os dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep). No acumulado dos últimos 10 anos, em valores atualizados, o montante total indenizado pelas seguradoras foi de R$ 15,2 bilhões.

O principal evento climático que causou perdas foi a seca, responsável por R$ 684 milhões em indenizações, pouco mais de 60% do total indenizado. Depois da seca, temos o granizo que ocasionou 15,7% das indenizações, além da chuva excessiva (9,6%) e da geada (9,3%).

Fonte: Mapa

Desburocratização dos carregamentos internacionais de produtos de origem animal

A reinspeção de produtos de origem animal importados passa ser realizada pela Vigilância Agropecuária Internacional.

A circulação em território nacional de matérias-primas e de produtos de origem animal comestíveis importados será autorizada após a fiscalização e reinspeção pela Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A mudança passou a valer no dia 18 de agosto e, antes desta data, o Vigiagro só fazia a fiscalização e os procedimentos de reinspeção eram realizados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) para que os produtos fossem liberados para a comercialização.

Alterações nos procedimentos 

A reinspeção somente poderá ser realizada por equipe de fiscalização do Vigiagro nos recintos habilitados para a reinspeção de produtos de origem animal.  A indicação do SIF para reinspeção será necessária apenas para produtos reimportados.

A reinspeção de produtos conservados sob refrigeração ocorrerá exclusivamente em ambientes climatizados que preservem as condições sanitárias dos produtos.

Os procedimentos poderão ser realizados de três formas: conferência física, conferência física e exame físico do produto, ou conferência física, exame físico do produto e coleta de amostras. A definição dos níveis ocorrerá por análise de risco e considerará o tipo de produto, o país de procedência e o histórico de notificações do fabricante.

Nos carregamentos que contenham mais de uma licença de importação vinculada e que tenham sido parametrizadas para diferentes níveis de reinspeção, será adotado o nível mais completo para a carga como um todo.

As licenças de importação (LI) que tenham sido autorizadas até o dia 17/08 permanecerão válidas por 90 dias, contatos a partir da data de emissão do parecer. Após esse prazo, será necessário protocolar LI substitutiva, de acordo com os procedimentos previstos.

Fonte: Mapa

Uso de madeira para a construção pode ser uma grande oportunidade

Paulo Roberto Pupo, superintendente executivo da Associação Brasileira de Indústrias de Madeira Processada Mecanicamente- Abimci apresentou palestra no 8ª edição do Workshop da Embrapa Florestas/Aprepalestra e destacou a atuação do setor de florestas plantadas, os desafios do mercado atual e futuro de suprimentos, e oportunidades de crescimento do setor.

Segundo Pupo, em um quadro evolutivo da área florestal plantada no Brasil, foi mostrado o baixo crescimento das plantações de pínus, em comparação às de eucalipto.

Se considerarmos a produção média de 25 m³ por hectare/ano, nós temos a produção sustentada/ano de 230 milhões de toneladas e um consumo atual por ano de 170 milhões de toneladas. Setenta por cento do volume é eucalipto, ou seja, 120 milhões de toneladas, e 20% do volume é de pínus, ou seja, 34 milhões de toneladas.

Desta forma, o pínus seria o principal gargalo produtivo e de suprimento, especialmente na região Sul, onde está praticamente a totalidade da indústria de madeira instalada.

A alta demanda habitacional do país (déficit de 8 milhões de unidades) foi uma das oportunidade de crescimento para o setor, apontada por Pupo. Entretanto, para que a madeira seja usada na construção civil, seu uso deve ser viabilizado de forma desburocratizada no âmbito governamental. Consolidar e oficializar o sistema wood frame, e inclui-lo em linhas de financiamento em larga escala e em programas oficiais de governo.

Fonte: Embrapa

Fitofake: operação desarticula falsificadoras de certificados fitossanitários

No dia 23/08, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e a Polícia Federal (PF) realizam a operação conjunta “Fitofake” de busca e apreensão em cinco empresas que falsificaram certificados fitossanitários na exportação de produtos brasileiros como café, arroz e pimenta.

O Certificado Fitossanitário é considerado o passaporte vegetal, sendo exigido pelas autoridades fitossanitárias dos países para permitir o ingresso de produtos naquele território.

A fraude foi identificada com a ajuda dos órgãos oficiais dos países importadores, que notaram divergências nos documentos e comunicaram ao Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária.

Fonte: Mapa

PRODUÇÃO

Polinização aumenta produção agrícola

Pesquisadores da Embrapa mapearam a importância dos polinizadores para a agricultura em cada um dos municípios brasileiros. O estudo considerou a área, a diversidade de culturas agrícolas e o quanto cada cultura depende de polinizadores. Além disso, identificaram a necessidade de restauração de áreas naturais para garantir a presença de polinizadores nos cultivos agrícolas.

A importância dos polinizadores é tamanha, que se estima que a polinização realizada por animais como abelhas, moscas e morcegos gere um valor econômico de 43 bilhões de reais por ano na agricultura brasileira.

Outro contexto abordado, é que a restauração da vegetação natural cumpre um papel importante na conservação de polinizadores e reflete na maior produtividade agrícola das áreas agrícolas do entorno, sendo importante desenvolver políticas ambientais que integrem a conservação da biodiversidade e a polinização das culturas.

Foto: Cristiano Menezes

Fonte: Embrapa

Integração Lavoura-Pecuária e outras tecnologias reduzem custos e recuperam áreas rurais no semiárido

As melhorias foram possíveis com a adoção de tecnologias, como a utilização da Integração Lavoura-Pecuária (ILP), aliada à escolha de cultivares adaptadas ao semiárido, e uma maior qualidade do alimento fornecido ao rebanho. Práticas que diminuiram os custos, além de contribuirem para a recuperação das pastagens.

Na visão do produtor José Sérgio Sicupira, a implantação de ILP foi uma forma de inovar o sistema de produção de alimentos para o rebanho.

Veja os depoimentos:

Fonte: Embrapa

Projeto Tech Maíz busca aumentar a segurança alimentar das Américas através da produção sustentável de milho

O projeto intitulado “Tecnologias para promover a produção sustentável de milho nas Américas” ou Tech Maíz foi lançado no dia 26 de agosto, com foco em mais sustentabilidade na produção de milho.

O projeto conta com representantes nos países latino-americanos, e a Embrapa Milho e Sorgo é a instituição que representa o Brasil na iniciativa.

Segundo Lauro Guimarães, chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Milho e Sorgo, o projeto Tech Maíz tem forte ligação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU e tem por objetivo central o treinamento de pesquisadores, agentes de assistência técnica e pequenos e médios produtores.

Fonte: Embrapa

Zoneamento de Risco Climático do feijão-caupi

No mês de agosto, foram publicadas as portarias para o Zoneamento de Risco Climático (Zarc) do feijão-caupi (feijão-de-corda) referente à safra 2021/2022, para os estados do Acre, Amazonas, Rondônia, Tocantins, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás  e também para o Distrito Federal.

Conhecido também como feijão-de-corda ou feijão-macassar, o feijão-caupi é uma cultura originária da África que chegou ao Brasil trazido pelos portugueses, no século XVI. Começou a ser produzido na Bahia, disseminando-se por todo o Nordeste e depois para as demais regiões do País.

A produção de feijão-caupi concentra-se nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, mas o consumo do produto é maior nas duas primeiras, onde, junto com o arroz, forma a base da alimentação da população. Na Bahia, é o principal ingrediente do acarajé.

Fonte: Mapa

Avaliação de fungicidas para doenças da soja é destaque em evento

Desde 2003, a Rede de Avaliação de Fungicidas para Controle de Doenças na Cultura da Soja conduz ensaios cooperativos durante a safra de soja para gerar informação que contribuam com a tomada de decisão de técnicos e produtores.

Na safra 2020/2021, instituições de pesquisa públicas e privadas avaliaram, por exemplo, os fungicidas para o controle da ferrugem-asiática da soja, a mais severa doença da soja. Os resultados foram apresentados no CBSoja GoLive e publicados na Circular Técnica 174: Eficiência de fungicidas para o controle da ferrugem-asiática da soja, Phakopsora pachyrhizi, na safra 2020/2021: Resultados sumarizados dos ensaios cooperativos.

A ferrugem-asiática da soja é uma das doenças mais severas que incide na cultura da soja, com danos variando de 10% a 90%.

O objetivo da rede foi avaliar a eficiência dos fungicidas registrados, novos fungicidas que estão em fase de registro e as combinações de fungicidas registrados com multissítios, em diferentes regiões produtoras (Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Bahia).

Fonte: Embrapa

SUSTENTABILIDADE

Desenvolvimento sustentável da Amazônia foi discutido em Workshop

O Workshop “Bioeconomia e Sistemas Integrados na Amazônia” discutiu tecnologias  e propostas de projetos  com foco no  fortalecimento de cadeias produtivas de valor da biodiversidade amazônica e prevenção e combate ao desmatamento na região.

Organizado pela Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO), Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus-AM) e Embrapa Agrossilvipastoril (Sinop-MT), o encontro contou com mais de 100 participantes entre pesquisadores, estudantes, técnicos, representantes governamentais e de entidades da sociedade civil.

Evento:

Fonte: Embrapa

TECNOLOGIA

Embrapa lança hub para aproximar startups e grandes empresas

Hoje (27/08), às 10h, a Embrapa estará lançando  um hub, o Silo – Inovação Aberta. O Silo é fruto de uma parceria público-privada entre Embrapa e algumas gigantes do mercado como Microsoft, TIM Brasil, Nestlé do Brasil, Belgo Bekaert, IS Brasil, além da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e a aceleradora corporativa Neo Ventures. Sua criação se pauta na busca por soluções para o agronegócio brasileiro, por meio de Inovação Aberta, reunindo competências colaborativas de empresas e instituições, para gerar impacto zero em termos de emissão de gases do efeito estufa, para reduzir as desigualdades sociais em todas as suas dimensões e para assegurar ganhos econômicos aos stakeholders envolvidos com a produção de alimentos, energia e fibras.

Fonte: Embrapa

Mato Grosso do Sul mais conectado

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) inaugurou 34 pontos de conexão via satélite para comunidades do estado do Mato Grosso do Sul.

A iniciativa hub Comunidades Rurais Conectadas no Mato Grosso do Sul, integra as ações de conectividade no campo, anunciadas em maio pelo Mapa, em parceria com o Ministério das Comunicações. As frentes de atuação para conectar comunidades do agro à internet ainda incluem projetos-pilotos de antena 5G e um estudo de projeção de impacto no Valor Bruto da Produção (VBP) a partir de dois cenários de conectividade.

No modelo de conexão via satélite, a conectividade será provida por meio do modelo de satélites geoestacionários. Serão conectados em uma primeira fase 166 comunidades rurais, que incluem assentamentos, escolas, áreas rurais remotas, privilegiando regiões com demandas de desenvolvimento regional para o agro. Os pontos estão distribuídos em 134 municípios de 10 estados, prioritariamente das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Fonte: Mapa

MERCADO

 Indicadores Cepea – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada

Produto Panorama da última semana
Soja O dólar segue se valorizando frente ao Real, e esse cenário vem sustentando as altas nos preços da soja em grão no mercado interno, à medida que deixa o produto brasileiro mais barato aos importadores.

Além da demanda firme, a baixa disponibilidade da oleaginosa nos mercados doméstico e internacional também influencia os avanços nos preços.

Alguns agentes apostam em novas valorizações e, com isso, mantêm o produto em estoque, visando a venda no último trimestre do ano. Entre 13 e 20 de agosto, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa – Paranaguá subiu 1,6%, indo para R$ 174,94/sc de 60 kg na sexta. O Indicador da soja CEPEA/ESALQ – Paraná avançou 1,4% no mesmo comparativo, fechando a R$ 172,24/sc de 60 kg.

Algodão Os valores do algodão em pluma têm registrado elevações desde o início de agosto. O Indicador CEPEA/ESALQ, subiu 2,93%, fechando a R$ 5,4318/lp nessa terça-feira, 24 – vale lembrar que o recorde nominal (de R$ 5,4576/lp) da série de preços do Cepea, o aumento é de 9,47%.

O impulso vem da alta na paridade de exportação e, especialmente, da presença mais ativa de compradores. Neste caso, o maior interesse comprador está relacionado à necessidade de repor estoques, em um ambiente de bom fluxo industrial e de maior ritmo de comercialização.

Milho Compradores de milho seguem afastados do mercado spot nacional, com expectativa de melhores oportunidades nas próximas semanas. Por enquanto, a maior parte dos produtores também segue retraída do mercado.

Diante disso, as negociações estão lentas no mercado spot, e os preços, em queda. Entre 13 e 20 de agosto, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa caiu 1,08%, fechando a R$ 98,79/saca de 60 kg na sexta-feira, 20.

Etanol Os preços dos etanóis hidratado e anidro fecharam mais uma semana em alta no mercado paulista. O Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado subiu 1,35% frente ao período anterior, fechando a R$ 3,1806/litro.

No caso do etanol anidro, o Indicador CEPEA/ESALQ foi de R$ 3,7583/litro, elevação de 5,18%. Compradores indicaram baixo interesse nos negócios. Da parte das usinas, poucas participaram do mercado spot, com a oferta crescendo de forma lenta ao longo da semana. Nesse cenário, os negócios foram bastante pontuais.

Açúcar Os preços do açúcar cristal têm registrado alta no mercado spot do estado de São Paulo nos últimos dias. De 16 a 23 de agosto, o Indicador CEPEA/ESALQ avançou 3,9%, fechando a R$ 134,43/saca de 50 kg nessa segunda-feira, 23.

No mês, o aumento já superou os 14%.

O clima seco e as geadas prejudicaram as lavouras paulistas de cana-de-açúcar, contexto que vem limitando o volume produzido no correr desta safra 2021/22.

Arroz As cotações do arroz em casca recuaram no Rio Grande do Sul nos últimos dias, com o maior interesse vendedor, que se sobrepôs à demanda. O Indicador do arroz teve retração de 0,89%, para R$ 76,97/sc de 50 kg na terça-feira, 24.
Boi O baixo volume de animais prontos para abate no mercado brasileiro segue sendo confirmado por dados oficiais. Segundo dados do IBGE, de janeiro a junho deste ano, foram abatidos no Brasil 13,61 milhões de animais, 7,28% a menos que no mesmo período de 2020 e expressivos 14,21% abaixo de 2019. Trata-se, também, do menor volume desde o primeiro semestre de 2009, quando o total abatido foi de 13,38 milhões de animais. O menor volume de gado ao longo do primeiro semestre manteve em alta os preços da arroba em praticamente todas as regiões produtoras do País.

Fonte: www.cepea.esalq.usp.br

CLIMA

Previsão de chuva para os próximos dias

De acordo com o modelo numérico do INMET, os maiores acumulados ocorrerão nas Regiões Norte e Sul do Brasil

Região Previsão
Sul Com a entrada da frente fria há possibilidade de chuva em toda região, onde a maior precipitação acumulada irá se concentrar na parte centrossul do Rio Grande do Sul, podendo alcançar 150 mm e Paraná com cerca de 60 mm.
Norte Os maiores acumulados de chuva irão ocorrer em áreas do noroeste do Amazonas, Roraima e Acre, podendo alcançar aproximadamente 70 mm na faixa mais ao noroeste da Região.
Sudeste e Nordeste Os maiores acumulados de chuva se concentram na faixa litorânea das regiões, com valores próximos aos 10 mm. Destaque para o sul de São Paulo e do Rio de Janeiro, onde o acumulado durante o período pode alcançar a faixa dos 80 mm de chuva.
Centro-Oeste e MATOPIBA não há previsão de chuva para grande parte da região, com exceção para sul do Mato Grosso do Sul, onde pode alcançar 40 mm na faixa centro-sudeste do Estado.

*Informativo Meteorológico Semanal N° 33 (previsão de 24 de agosto a 08 de setembro de 2021).

 Veja a previsão de chuva para a sua região clicando aqui.

 

 

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

outubro 2021
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu