Informe-se e compartillhe! Monitoramento de lavoura, mercado, clima, eventos e cursos agro

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

Neste post publicamos itens gerais referentes ao mundo do agronegócio, entre eles: monitoramento das lavouras, informações sobre mercado e economia, previsões de chuva e clima em todas as regiões do Brasil, diversos cursos e eventos agro.

GERAIS

Monitoramento Semanal das Condições das Lavouras (atualizado em 04 de março de 2024)

Consumo de grãos e fibras contribui para uma alimentação saudável Sergipe Notícias

Fonte da imagem: sergipe noticias 06/03/2024

Destaques da semana

Arroz – A colheita atingiu 7,3% de progresso. No Rio Grande do Sul, a colheita avança vigorosamente na Fronteira Oeste, com altos índices de rendimento e qualidade do produto. Em outras regiões, as lavouras estão em estágio de desenvolvimento satisfatório. Em Santa Catarina, as condições climáticas têm sido propícias para a colheita tanto na região Sul quanto no Norte. No Maranhão, as chuvas regulares têm beneficiado as áreas de arroz sequeiro, contribuindo para a conclusão do plantio. As lavouras estão em condições favoráveis. Em Goiás, a colheita progride nas áreas de sistemas de tabuleiro, principalmente na região Norte e em São Miguel do Araguaia. No Tocantins, as chuvas acumuladas têm afetado o ritmo da colheita, resultando em baixos rendimentos do produto colhido. No Mato Grosso, a colheita está quase concluída, e os grãos exibem uma qualidade satisfatória.

Algodão  – O plantio atingiu 99,9% de conclusão. Em Mato Grosso, o clima foi favorável para o desenvolvimento das culturas e a realização dos tratos culturais. Na Bahia, o plantio foi finalizado e as lavouras estão apresentando ótima qualidade. Em Mato Grosso do Sul, o clima está favorecendo o desenvolvimento das lavouras e os procedimentos de manejo. Em Goiás, Maranhão, Tocantins e Piauí, as lavouras estão em boas condições.

Feijão 1ª safra – A colheita alcançou 44,4% de progresso. No Paraná, a colheita do feijão cores e preto foi finalizada. Na Bahia, as lavouras mais precoces começaram a maturação. As condições gerais são satisfatórias em todas as regiões produtoras. Em Minas Gerais, exceto nas regiões Sul e Norte, o clima foi mais seco e estável, permitindo o avanço da colheita. No entanto, houve uma redução na qualidade dos grãos devido às chuvas durante a maturação. No Rio Grande do Sul, a colheita está quase concluída, com exceção das lavouras do Planalto Superior, que têm seu cultivo mais tardio. Nessa região, os volumes significativos de chuva favoreceram o desenvolvimento. No Piauí, a semeadura foi concluída. As condições gerais são satisfatórias, apesar da irregularidade nas precipitações. Na região Sul, as lavouras estão em condições mais favoráveis.

Milho 1ª Safra – A colheita atingiu 29,4% de progresso. Em Minas Gerais, o clima mais seco tem favorecido a colheita. No Rio Grande do Sul, houve um pequeno avanço na colheita devido às frequentes precipitações. Na Bahia, as lavouras estão em boas condições de desenvolvimento. No Piauí, as lavouras estão se desenvolvendo em boas condições, principalmente na região do Cerrado. No Paraná, a colheita está avançando e há uma grande amplitude nas produtividades. Em Santa Catarina, a colheita ultrapassou a metade da área semeada, e as áreas mais precoces apresentam produtividades inferiores às estimadas inicialmente. No Maranhão, o plantio foi concluído e as lavouras estão em diversos estágios fenológicos. No Pará, as precipitações constantes estão favorecendo o desenvolvimento das lavouras.

Milho 2ª SafraO plantio atingiu 73,7% de conclusão. Em Mato Grosso, o plantio está avançando, adiantado em relação à safra passada, devido à antecipação do ciclo da soja e à redução na intenção de plantio. As chuvas bem distribuídas estão favorecendo o desenvolvimento das lavouras. No Paraná, a maioria das lavouras está apresentando bom desenvolvimento. No entanto, no Extremo-Oeste, a escassez hídrica está afetando o crescimento das plantações. Em Mato Grosso do Sul, a má distribuição das chuvas está impactando a evolução da semeadura, mas não há um impacto significativo nas lavouras já implantadas. Em Goiás, a semeadura avançou e as lavouras estão em boas condições.Em Minas Gerais, a semeadura está progredindo, porém está mais atrasada em comparação com a safra anterior. No Pará, as frequentes chuvas têm favorecido o desenvolvimento das lavouras.

Soja – A colheita atingiu 47,3% de progresso. Aqui está o panorama em diferentes regiões: Em Mato Grosso, o ritmo da colheita é intenso, e há uma alta variabilidade nas produtividades. No Rio Grande do Sul, as chuvas favoreceram principalmente as lavouras em fases reprodutivas, mas há uma forte incidência de ferrugem asiática. No Paraná, as chuvas beneficiaram as lavouras tardias. Em Goiás, o clima mais seco tem permitido o avanço na colheita, e observa-se uma melhoria na qualidade dos grãos. Em Mato Grosso do Sul, a colheita está progredindo, mas as chuvas mal distribuídas na região Oeste e Nordeste estão afetando as lavouras semeadas tardiamente. Em Minas Gerais, a redução das chuvas favoreceu a colheita sem comprometer o desenvolvimento das lavouras tardias. Na Bahia, as lavouras estão em boas condições. Em São Paulo, a colheita está avançando em todas as regiões. No Tocantins, a colheita começou na região Centro-Sul, e há uma leve recuperação das produtividades. No Maranhão, a colheita está progredindo em geral, especialmente em Balsas, e a regularidade das chuvas está favorecendo o desenvolvimento em outras regiões. No Piauí, as lavouras estão se desenvolvendo em boas condições. Em Santa Catarina, a colheita começou. No Pará, as chuvas frequentes estão prejudicando a evolução da colheita, principalmente no polo de Redenção e na BR-163.

Fonte: CONAB. Boletim de monitoramento semanal das condições da lavoura de 04/03/2024

Mercado e Economia Agro: Boi gordo

O mercado físico do boi gordo iniciou a semana com uma queda nos preços da arroba nas principais praças de produção e comercialização em todo o país. O aumento da oferta, especialmente de fêmeas, na região Centro-Norte do Brasil, sugere que esse movimento de queda nos preços pode continuar no decorrer da semana.

boi, integração lavoura-pecuária

Isso tem permitido aos frigoríficos compor suas escalas de abate sem grandes dificuldades, garantindo entre nove e dez dias úteis de produção, em média. Apesar disso, os pecuaristas conseguem, em certa medida, controlar o ritmo dos negócios. No entanto, essa estratégia apenas limita quedas mais agressivas, uma vez que o viés geral ainda é de baixa, conforme destaca o analista da Consultoria Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias.

Os preços da arroba do boi nas principais praças são os seguintes:

 

  • São Paulo (Capital): R$ 231
  • Goiânia (GO): R$ 218
  • Uberaba (MG): R$ 227
  • Dourados (MS): R$ 223
  • Cuiabá: R$ 206

No mercado atacadista, os preços continuam estáveis. A expectativa é de alguma alta durante a primeira quinzena do mês, impulsionada pela entrada dos salários na economia, o que pode estimular a reposição entre atacado e varejo. No entanto, mesmo com essa possível alta, a dinâmica dos preços do boi gordo não deve ser significativamente alterada, dadas as condições confortáveis das escalas de abate.

Os preços dos cortes também permanecem relativamente estáveis:

  • O quarto traseiro é precificado a R$ 18 por quilo.
  • O quarto dianteiro permanece cotado a R$ 12,80 por quilo.
  • A ponta de agulha segue no patamar de R$ 12,80 por quilo.

Fonte da imagem e do texto: canal rural 06/03/2024

Previsão de chuvas para para Março 2024

INFORMATIVO METEOROLÓGICO N°8/2024

Durante a segunda semana de março de 2024, entre os dias 12 e 20, a previsão meteorológica indica a possibilidade de chuvas volumosas em grande parte do Brasil, de acordo com os dados do modelo de previsão numérica.

Na Região Norte, são esperados acumulados significativos, com volumes acima de 50,0 mm, especialmente em áreas do Amazonas, Acre, Rondônia, Amapá, sul do Pará e Tocantins. Nas demais áreas, a previsão é de chuvas com volumes inferiores a 30,0 mm.

No Nordeste, prevê-se chuva em forma de pancadas, podendo ultrapassar os 80,0 mm no norte da região. Locais como Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, oeste e sul da Bahia, além da costa leste e sertão da Paraíba e Pernambuco podem experimentar chuvas localmente fortes. Em outras áreas, os acumulados de chuva são previstos menores.

Nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, são esperadas pancadas de chuva em todos os estados, com possibilidade de chuvas localmente fortes em áreas do Mato Grosso, Distrito Federal, Goiás, centro-norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo. Nas demais áreas, os volumes de chuva são previstos menores.

No Sul do país, prevê-se chuva superior a 50 mm em todos os estados, com exceção do extremo sul do Rio Grande do Sul, onde há previsão de pouca chuva.

Fonte: INMET: Informativo Meteorológico nº 8/2024

Boletim meteorológico  (28 de fevereiro a 3 de março de 2024)

Na última semana, as regiões do Norte do país testemunharam os maiores índices pluviométricos, especialmente no Acre, Pará e Amazonas, onde as precipitações excederam os 70,0 mm. Destacam-se Tarauacá (AC), com um acumulado de 207,2 mm; Paragominas (PA), com 198,4 mm e Parintins (AM), registrando 184,4 mm. No extremo norte de Roraima e no sul do Tocantins, não houve registro de chuvas acumuladas. Nas demais áreas, as precipitações ficaram abaixo dos 70,0 mm.

No centro-norte do Nordeste, foram observados acumulados de chuvas significativos, ultrapassando os 70,0 mm nos últimos cinco dias, com destaque para Caravelas (BA), atingindo 129,6 mm; Parnaíba (PI), com 115,2 mm e Sobral (CE), com 113,2 mm. Nos estados de Alagoas, Sergipe e em grande parte da Bahia, não houve acumulação significativa nos últimos dias.

Em grande parte das regiões Centro-Oeste e Sudeste, não houve grandes acumulações de chuva recentemente, exceto em algumas áreas de Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás, onde os volumes superaram os 80,0 mm. Destacam-se as estações meteorológicas de Muriaé (MG), com 110,6 mm; Sorriso (MT), com 80,4 mm e Catalão (GO), com 80,2 mm. Nas demais áreas das regiões, os volumes foram inferiores a 70,0 mm.

Já na Região Sul, acumulados de chuva superiores a 70,0 mm foram registrados nos últimos dias, com destaque para São Mateus do Sul (PR), com 79,0 mm; Passo Fundo (RS), com 77,0 mm e Alegrete (RS), com 75,6 mm.

Fonte de texto: INMET: Informativo Meteorológico nº 8/2024

Eventos e cursos do Agro
DATA DE INÍCIO: 20 de março de 2024 08:00
CATEGORIA: Curso
Mais informações e inscrições: agroadvance 06/03/2024
Evento gratuito e online 
DATA DE INÍCIO: 21 de março de 2024 08:00
CATEGORIA: Curso
Mais informações e inscrições: agroadvance 06/03/2024
Evento gratuito e online
DATA DE INÍCIO: 08 de março de 2024 08:00
CATEGORIA: Curso
Mais informações e inscrições: agroadvance 06/03/2024
Evento presencial e gratuito 
DATA DE INÍCIO: 21 de março de 2024 08:00
DATA DE TÉRMINO: 21 de março de 2024 18:00
CATEGORIA: Conferência PRESENCIAL
Mais informações e inscrições: Agroagenda 16/02/2024
                                                                                                                                 
DATA DE INÍCIO: 08 de março de 2024 16:00
CATEGORIA: Congresso
LOCAL: Espírito Santo – Oásis Festas Eventos – R. Dr. Eurico de Aguiar, 855 – Santa Lucia, Vitória – ES, 29056-264
Mais informações e inscrições: Agroagenda 29/02/2024
Evento gratuito e presencial
DATA DE INÍCIO: 18 de março de 2024 20:00
DATA DE TÉRMINO: 22 de março de 2024 20:00
CATEGORIA: Live, palestra
Mais informações e inscrições: agroadvance 06/03/2024
Evento online e gratuito 

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: algodão, Arroz, clima, Cursos e eventos agro, feijão, mercado e economia, mercado físico do boi, milho, Previsão de chuva, Safra, soja

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
LinkedIn
YouTube
Instagram