Curadoria
0

Controle da soja voluntária em consórcio de milho com crotalária

controle de soja voluntária em consórcio de milho com crotalária

(Curadoria Agro Insight)

O controle de soja voluntária em consórcio de milho com crotalária, causando menores danos à crotalária, é um desafio para os produtores. Uma pesquisa desenvolvida pela Embrapa buscou viabilizar uma recomendação técnica de dose e épocas de aplicação de atrazine para o controle da soja voluntária que seja seletivo para Crotalaria ochroleuca e Crotalaria spectabilis.

As doses, épocas de aplicação e as combinações, somente no tratamento com uso de 500g/ha de atrazine em pré-emergência, mais 500g/ha do mesmo produto após 21 dias de emergência é que houve a eficiência no controle da soja voluntária sem causar danos à Crotalaria ochroleuca. Já a Crotalaria spectabilis foi suscetível a todos os tratamentos testados.

Segundo a pesquisadora Fernanda Ikeda, a atrazine é um herbicida de baixo custo, com várias opções de produtos com esse ingrediente ativo. É muito eficaz no controle da soja voluntária, mas, nas doses recomendadas para o milho solteiro, ela controla também as crotalárias. Dessa forma, foram testadas doses reduzidas de atrazine, modalidades e épocas de aplicação para verificar o que daria certo no consórcio.

Na pesquisa foram avaliadas doses de 250g/ha e 500g/ha de atrazine aplicadas em diferentes momentos, como pré-emergência, 14,21 e 28 dias após a emergência, e também combinações da mistura de paraquat + diuron (500+250) em pré-emergência com atrazine (250 e 500) em pós-emergência e somente paraquat com diuron em pré-emergência.

O trabalho foi realizado antes da proibição do uso do paraquat no Brasil, iniciada em 2021. De toda forma, embora seja seletivo para as espécies de crotalária avaliadas, o produto, na dose usada, não controlou a soja voluntária.

De acordo com a pesquisadora Fernanda Ikeda, uma alternativa de controle da soja voluntária sem causar danos à crotalária é semear somente o milho, aguardar a emergência das plantas guaxas, fazer a aplicação do herbicida e somente depois semear a crotalária.

Ikeda afirma que a estratégia não ocasionaria efeito nas duas espécies de crotalária e poderia contribuir também para o controle residual de algumas espécies de plantas daninhas de folhas largas e algumas de folhas estreitas.

O objetivo da pesquisa é encontrar alternativas que possam ser utilizadas para o controle de soja voluntária pensando no sistema produtivo, nesse caso, no consórcio de milho com crotalária.

Os resultados dos ensaios podem ser conferidos em detalhes no Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento nº6, “Seletividade de atrazine e [paraquat + diuron] em Crotalaria spp. e controle de soja voluntária”.

BIBLIOGRAFIA E LINKS RELACIONADOS

Pesquisa traz recomendação para controle de soja voluntária em consórcio de milho com crotalária

IKEDA, F. S.; RUBENICH, A. K.; OLIBONE, A. P. E.; SMANIOTTO, L. D.; CAVALIERI, S. D.; SILVA, A. de J.; WOIAND, H. M. G. Seletividade de atrazine e [paraquat + diuron] em Crotalaria spp. e controle de soja voluntária. BOLETIM DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO 6, 2021.

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , , , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu