Curadoria
0

‘BRS Princesa’: Cultivar de banana maçã resistente às principais doenças da bananicultura

(Curadoria Agro Insight)

No Brasil, as bananas ‘Maçã’ são bem aceitas pelo consumidor, sobretudo devido ao seu sabor adocicado, às suas baixa acidez e polpa macia. Essas bananas ocupam em torno de 3% da área cultivada e representam cerca de 2% da produção nacional da fruta.

Para agravar a situação, as bananeiras ‘Maçã’ apresentam a mais alta suscetibilidade ao agente causal da principal doença da bananeira no Brasil, o mal-do-panamá, responsável por perdas tão elevadas que, muitas vezes, tornam o seu cultivo antieconômico. Diante disso, é grande a demanda por novas variedades que apresentem sabor similar ao da ‘Maçã’ tradicional, mas que, sobretudo por terem resistência ao mal-do-panamá, são excelentes opções onde não há mais possibilidade de cultivo da banana ‘Maçã’.

A Embrapa Mandioca e Fruticultura direciona parte importante do seu programa de melhoramento genético, um dos mais amplos e melhores programas no mundo, para a busca de novas variedades do tipo Maçã. Após longos anos de pesquisa, esse esforço resultou na obtenção de cultivares moderadamente resistentes ao mal-do-panamá, com destaque para a cultivar BRS Princesa.

BRS Princesa

A ‘BRS Princesa’ foi desenvolvida pelo programa de Melhoramento da Embrapa Mandioca e Fruticultura, em Cruz das Almas (BA). Trata-se de um híbrido resistente ao mal-do-panamá e às sigatokas amarela e negra, além de possuir todas as características agronômicas semelhantes à cultivar Maçã.

Cacho de cultivar BRS Princesa. Foto: Edson Perito Amorim

Os seus frutos são muito semelhantes à cultivar Maçã, tanto em sabor quanto em aroma e textura. Frutos maduros e aspecto da polpa da ‘BRS Princesa’ são apresentados na Figura 4.

Frutos maduros (A) e polpa da bananeira ‘BRS Princesa’. Foto: Márcio Eduardo Canto Pereira

A cultivar está registrada no RNC vinculado ao MAPA, sob o número 23.306, e foi recomendada para a região do baixo Cotinguiba no leste Sergipano em 2008 e em 2014, para o Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Além disso, resultados de pesquisa mostraram ser uma cultivar promissora para o cultivo na região do Recôncavo da Bahia, cujos pesos de cachos variaram de 14 a 16 kg, no primeiro e segundo ciclos de produção, respectivamente.

A ‘BRS Princesa’ é resistente à sigatoka-amarela, moderadamente resistente ao mal-do-panamá e à sigatoka-negra, apresentando peso de cacho em torno de 17 kg e produtividade de 20 a 30 t/ha.

BIBLIOGRAFI E LINKS RELACIONADOS

LEDO, A.S.; AMORIM, E.P. Cultivares. In: Cultivo de bananeiras tipo maçã – ‘BRS Princesa’ e ‘BRS Tropical’. Embrapa Mandioca e Fruticultura, Sistema de Produção, 43

 

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: , ,

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

maio 2022
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
LinkedIn
YouTube
Instagram
Menu