Notícias
0

Principais Notícias da Semana no Mundo Agro

Principais Notícias da Semana no Mundo Agro

Seja bem-vindo(a) a Newsletter da Agro Insight, um espaço de artigos autorais e curadoria sobre tecnologias, sustentabilidade e gestão para o agro.

Se você ainda não é assinante, junte-se a mais de 8 mil profissionais do Agro, consultores e produtores rurais que recebem gratuitamente conteúdos de qualidade selecionados toda semana, adicionando o seu e-mail abaixo:

Fique informado e compartilhe nas suas redes sociais

GERAIS

Produção de grãos atinge recorde na safra 2021/22

A produção brasileira de grãos na safra 2021/22 está estimada em 271,2 milhões de toneladas, um acréscimo de quase 14,5 milhões de toneladas, quando comparada ao ciclo anterior, como aponta o 12º Levantamento da Safra de Grãos publicado nesta quinta-feira (8) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Principal produto cultivado, a soja teve o desenvolvimento marcado pelas altas temperaturas em importantes regiões produtoras, como as lavouras do Paraná, Santa Catarina e em parte do Mato Grosso do Sul. Essa condição climática adversa trouxe impacto severo nas produtividades, influenciando na queda da produção. No Rio Grande do Sul, por exemplo, a quebra registrada superou 50%. Diante desse cenário, a colheita para o grão no país está estimada em 125,6 milhões de toneladas, uma redução de aproximadamente 10% em relação à safra 2020/21.

No caso do milho, houve uma recuperação na produção total com uma colheita estimada em 113,2 milhões de toneladas, o que representa um incremento de 30% quando comparado com o ciclo anterior. Enquanto na primeira safra houve uma certa estabilidade na produção em 24,9 milhões de toneladas, devido às condições climáticas desfavoráveis principalmente nos estados do Sul, a segunda safra foi marcada por uma retomada na produção em torno de 41,8%, sendo estimada em 86,1 milhões de toneladas.

O resultado só não foi melhor devido a falta de chuvas em Goiás, São Paulo e Minas Gerais. Nesses estados, além da estiagem, houve registro de ataque de cigarrinhas nas lavouras, praga que também afetou a produtividade no Paraná.

Outro importante produto, o algodão teve a produtividade parcialmente afetada por estresse hídrico em algumas lavouras, enquanto que a qualidade da pluma, que tem produção estimada em 2,55 milhões de toneladas, está muito boa devido ao clima. Em contrapartida, a falta de chuvas favorece o andamento da colheita, prevista para finalizar em setembro. Destaque também para o sorgo, que impulsionado pelos preços do milho registra uma produção recorde de 2,85 milhões de toneladas, crescimento de 36,9% em relação à safra passada.

Já os produtores de feijão enfrentaram problemas climáticos em todas as três safras da leguminosa. Ainda assim a produção está estimada em aproximadamente 3 milhões de toneladas, o que atende ao abastecimento do país. No caso do arroz, o volume total a ser colhido é estimado em 10,8 milhões de toneladas, apresentando diminuição em relação a 2020/21, em razão de menor destinação de área para o plantio, bem como pela redução na produtividade média nacional. Ainda assim, a produção também é suficiente para a demanda do mercado interno.

Fonte: Mapa

Trabalho conjunto busca salvar abelha em risco de extinção

A abelha Uruçu Amarela do Cerrado (Melipona rufiventris), sem ferrão, capaz de produzir até cinco quilos de mel por colônia ao ano, é o elo entre pesquisadores e técnicos da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (DF), de instituições parceiras e meliponicultores (criadores de espécies de abelhas nativas) em uma pesquisa inédita para evitar sua extinção.

O inseto é responsável pela polinização de imensas áreas naturais e agrícolas e pela renda de pequenos produtores e agricultores familiares. Sua raridade, na natureza e na meliponicultura (criação racional de abelhas nativas sem ferrão), faz com que seus produtos tenham maior valor agregado.

A equipe envolvida na pesquisa quer detectar o grau de risco de desaparecimento da abelha e discutir e estabelecer critérios para elaboração de um plano de manejo sustentável, que possibilite sua conservação. O trabalho abrange, entre outros estudos, análises genômicas e genéticas de populações do inseto.

O desmatamento de grandes áreas naturais para expansão agrícola ou para empreendimentos urbanos e o uso indiscriminado de agrotóxicos estão entre os principais motivos que colocam a espécie, nativa do Cerrado brasileiro, em risco. Soma-se a eles a predação de ninhos naturais para retirada criminosa de mel ou dos próprios ninhos, muitas vezes vendidos na internet, prática adotada por “meleiros”, o que pode ocasionar a morte do enxame.

Por isso, desde dezembro de 2014 uma portaria do Ministério do Meio Ambiente (MMA) inseriu a Uruçu Amarela do Cerrado na categoria EN, ou seja, em perigo de extinção. Portaria mais recente (MMA no 148 de 07/06/2022) a manteve na lista de espécies ameaçadas, alertando a sociedade e a comunidade científica sobre as restrições relacionadas ao seu manejo.

Fonte: Embrapa

Nova tecnologia para medir carbono no solo recebe certificação internacional

Utilizada pela NASA (Agência Espacial Norte Americana) nos robôs para exploração de informações do solo em Marte, a técnica LIBS (Laser Induced Breakdown Spectroscopy ou Espectroscopia de emissão óptica com plasma induzido por laser) acaba de receber mais um reconhecimento internacional, com impacto direto para os agricultores brasileiros.

A Embrapa Instrumentação e a empresa Agrorobótica (ambas localizadas em São Carlos – SP), que desde 2016 mantêm um convênio de cooperação técnica para o uso da tecnologia na avaliação dos solos tropicais, participaram de uma consulta pública com a Verra – referência mundial em certificação de créditos de carbono – que fez uma revisão em toda a metodologia de certificação.

“Nosso objetivo é resolver um dos principais problemas para elaboração de projetos de crédito de carbono na agricultura que é o MRV (medir, reportar, verificar) do carbono estocado no solo, de uma forma viável economicamente”, comenta Aida Magalhães, CTO da Agrorobótica, que foi pós-doutoranda com Débora Milori na Embrapa.

Fonte: Embrapa

PRODUÇÃO

Manejo da cigarrinha do milho e dos enfezamentos

O controle das cigarrinhas pode evitar os enfezamentos, infecção que impede o desenvolvimento normal da planta de milho e causa prejuízos na lavoura. A medida preventiva começa pelo tratamento das sementes, eliminação de plantas tigueras, controle das cigarrinhas nos estádios iniciais da lavoura, manejo integrado de pragas e plantio de diferentes tipos de cultivares.

Fonte: Embrapa

Mais de 400 mil documentos de titulação são emitidos pelo Incra

Incra alcançou a marca de 404.993 documentos de titulação expedidos para famílias no campo. O número se refere ao período entre janeiro de 2019 e agosto de 2022, em assentamentos da reforma agrária e áreas públicas passíveis de regularização fundiária. Somente este ano são 124.954 documentos para produtores rurais em todo o Brasil.

Entre as mais de 400 mil famílias beneficiadas com a política de titulação, está a agricultora Risolene Vitorino de Oliveira Lima do assentamento Fazenda Hipólito, em Mossoró (RN), a 270 quilômetros da capital Natal. Ela esperava pelo título definitivo de lote, onde foi assentada com o pai, há 35 anos. “Chegamos aqui em 1986 e no ano de 1988 o assentamento foi reconhecido e somente 35 anos depois, posso dizer que sou proprietária da minha terra”, comemora.

O casal de agricultores Roseli Alves Fortes e Márcio Lino moram e trabalham em uma área de 11 hectares no assentamento Eli Vive II, no município de Londrina, no Paraná. Assentados há 11 anos, eles receberam o título definitivo do lote onde criaram os três filhos. O projeto do casal é aumentar a produção leiteira e investir em um aviário. “Agora temos nosso direito jurídico à terra assegurado para que ninguém nos perturbe. Somos livres para sonhar e construir aquilo que é bom para nossa família e para o Brasil”, diz Márcio.

Fonte: Mapa

Mapa determina suspensão de uso de lotes de propilenoglicol na fabricação de produtos para alimentação animal

Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou na última terça-feira (6) que as empresas registradas junto ao Mapa suspendam imediatamente o uso em suas linhas de produção de dois lotes da matéria-prima propilenoglicol adquiridos da empresa Tecno Clean Industrial LTDA.

Investigações do Mapa detectaram o envolvimento inicial dos lotes AD5053C22 e AD4055C21 – denominação de venda: PROPILENO GLYCOL USP adquiridos da empresa Tecno Clean nos casos de intoxicação de animais por ingestão de produtos da empresa Bassar Indústria e Comércio Ltda.

O propilenoglicol é um aditivo permitido tanto para alimentação animal quanto para alimentação humana. Nesse caso, a causa em investigação é uma contaminação do propilenoglicol por monoetilenoglicol. A causa está sendo investigada.

As empresas fabricantes de produtos para alimentação animal registradas no Mapa também devem identificar os produtos fabricados com o uso dessas matérias primas e, caso encontrem, devem fazer o recolhimento no comércio atacadista e varejista. Os procedimentos deverão ser comunicados aos serviços de inspeção de produtos de origem animal de cada jurisdição, para controle e ações complementares do Mapa.

O Mapa encaminhou ofício às associações Abinpet, Sindirações, Abiam e Abra para que reúnam esforços na divulgação dos dados junto a seus associados.

Fonte: Mapa

Monitoramento das lavouras de algodão

A safra de algodão está 96,8% colhida. Em MT, a colheita do algodão avançou para as áreas finais, mantendo a boa qualidade de pluma. Na BA, no Extremo-Oeste, a colheita das lavouras de sequeiro está finalizada e as irrigadas seguem em fase de maturação e colheita, favorecida pela baixa umidade. Em MS, a colheita está encerrada. Segue o transporte dos fardos até as algodoeiras para pesagem e beneficiamento.

Em MG, o clima continua favorecendo as operações de colheita e manutenção da boa qualidade das fibras. Em GO, a colheita do algodão está praticamente encerrada, restando apenas algumas áreas pontuais irrigadas. No MA, a colheita está em andamento e vêm sendo observadas boas produtividades. Em SP e no PI, a colheita está encerrada.

Fonte: Conab

Monitoramento das lavouras de trigo

A colheita do trigo está em 8% da área plantada. No RS, as lavouras estão em condições boas. Nas regiões do Alto Uruguai, Missões e Planalto Médio, as áreas mais adiantadas iniciaram a fase de enchimento de grãos. Na metade Sul, as lavouras estão em perfilhamento.

No Norte e Oeste do PR, as lavouras estão em colheita e com boa qualidade de grãos, porém a produtividade abaixo do esperado devido à restrição hídrica. A fase reprodutiva é predominante nas lavouras. A ocorrência de geadas nas regiões Sudoeste e Oeste causaram danos em uma pequena parte das lavouras.

Em SC, áreas mais avançadas estão em fase de floração. Em MS, as condições de umidade são adequadas para cultura concluir o ciclo produtivo e o clima favorece a realização de colheita. Em GO, a colheita do trigo irrigado encontra-se em andamento e as lavouras estão em boas condições. A colheita do trigo de sequeiro foi finalizada com produtividades médias, reduzidas em função de estresse hídrico. Na BA, a colheita em andamento.

Fonte: Conab

Monitoramento das lavouras de milho 2ª safra

A segunda safra do milho está praticamente colhida (97,1%). No PR, a colheita avança lentamente, conforme a região, em função de chuvas frequentes. Os problemas climáticos ocorridos em algumas regiões, aliados ao ataque generalizado da cigarrinha, provocaram queda na produtividade inicialmente prevista. Em MS, a colheita está finalizando. Observa-se diminuição da intensidade em função da maior dificuldade de colheita nas lavouras tombadas pelo vento.

Em GO a colheita foi finalizada com queda na produtividade inicialmente estimada, em função da restrição hídrica em várias regiões e ao ataque generalizado da cigarrinha. Em MG, a colheita se aproxima da conclusão. As baixas produtividades se confirmam devido ao estresse hídrico e ao ataque de cigarrinhas. Em MA, TO e PI, já foram encerrados as operações de colheita. As produtividades nesses estados superaram as previsões iniciais, devido às excelentes condições climáticas ocorridas e que favoreceram ao desenvolvimento das lavouras.

Fonte: Conab

Monitoramento das lavouras da 3ª safra de feijão

Em GO, a colheita está em fase final, alcançando 96% da área total. Restam alguns talhões principalmente no Sudoeste do estado. O rendimento e a qualidade dos grãos se mantêm elevados, mesmo diante das oscilações climáticas ao longo do ciclo e as frentes frias registradas. Em MG, 80% da área foi colhida. O frio intenso durante a fase vegetativa da cultura prejudicou as lavouras semeadas mais tardiamente e tem reduzido a qualidade do produto, além do potencial produtivo estimado inicialmente.

Na BA, a colheita chega a 25% da área total. As lavouras em campo seguem em enchimento de grãos e maturação. O cultivo está concentrado mais ao Nordeste do estado, sob condições de microclima variado. A irregularidade na distribuição das chuvas tem reduzido o potencial produtivo em áreas com baixo índice pluviométrico.

Fonte: Conab

Atraso na semeadura do trigo evitou perdas com geadas no Rio Grande do Sul

O excesso de umidade no solo nos meses de maio, junho e julho provocou atrasos na semeadura do trigo no Rio Grande do Sul. Ainda em desenvolvimento vegetativo, as lavouras não sofreram perdas com às geadas ocorridas no final de agosto. O clima frio e seco trazido pelo fenômeno La Niña também está favorecendo as lavouras, que apresentam potencial de rendimentos que podem superar as expectativas iniciais.

Com o grande volume de precipitações que coincidiram com a época de semeadura do trigo no RS, a implantação das lavouras foi atrasada. Contudo, o atraso evitou as perdas com geadas no período crítico da cultura, na floração e no espigamento. De acordo com o Informativo Conjuntural da EmaterRS, no momento apenas 18% das lavouras estão em floração (01/09/22), enquanto no ano passado 27% estavam em floração nesta época (02/09/21). “Tivemos quatro geadas fortes, com temperaturas negativas registradas no mês de agosto. Só verificamos danos nas lavouras mais adiantadas e localizadas nas áreas de maior risco, como nas baixadas e encostas de mata”, conta Marcelo Klein, engenheiro agrônomo da Embrapa Trigo.

Fonte: Embrapa

 CTNBio aprova nova soja transgênica da Embrapa

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) considerou, em reunião extraordinária no dia 1º de setembro, que a edição no genoma da soja, conduzida pela Embrapa com a técnica CRISPR, para desativar alguns fatores anti-nutricionais, resulta em uma soja convencional, portanto, não transgênica.

O parecer dado pela CTNBio foi pautado na Resolução Normativa n.16 e considerou que a planta editada, não possui a presença do DNA de outra espécie, o que torna o produto não transgênico.

Fonte: Embrapa

Atual safra de algodão deve ser de até 2,6 milhões de toneladas

O presidente da Abrapa, Júlio Cézar Busato, foi o entrevistado no Canal Agro Mais e falou sobre a reta final da colheita (safra 21/22) e estimativas do setor algodoeiro. A projeção é chegar a 2,6 milhões de toneladas. Uma queda na estimativa inicial que era de 2,8 milhões de toneladas. A seca nas regiões produtoras dificultou a produção e por isso houve a revisão.

Fonte: Abrapa

Problemas no transporte causam perdas no algodão brasileiro

Embora o algodão brasileiro seja considerado um dos melhores do mundo em qualidade, parte dos atributos se perdem no transporte, comprometendo a imagem internacional do setor. Em meio a uma crise logística internacional, com escassez de contêineres, um problema antigo se agravou: a falta de cuidados no transporte da pluma, causando prejuízos para compradores e vendedores diante de perdas que poderiam ser evitadas.

Responsável pelos protocolos de certificação de boas práticas na produção da pluma no país, a entidade representativa do setor cotonicultor se prepara para lançar um novo programa no país voltado para logística, o ABR-Log. O intuito, aponta Portocarrero, é reunir todas as melhorias necessárias no processo de transporte e armazenamento da pluma realizado atualmente no país.

A previsão é de que o protocolo, ainda em discussão, entre em vigor até o final deste ano.

Entre os principais problemas enfrentados, Portocarrero destaca carrocerias de caminhão sujas e a lotação de contêineres acima da sua capacidade máxima.

A Associação estima perdas de 10% a 15% na pluma embarcada de forma descuidada, o que pode gerar tanto descontos para o vendedor quanto prejuízos no rendimento da pluma adquirida pelo comprador, que terá que destinar a parcela contaminada para fins menos nobres.

Fonte: Abrapa

MERCADO

Conjuntura do mercado internacional do algodão

O mercado internacional esteve bastante volátil, preços caíram. Os principais responsáveis por este movimento foram: a queda abrupta no preço do petróleo; o relatório do USDA sobre a melhora na safra americana; as notícias sobre lockdown na China; temor de alta nos juros mundiais; e o provável cenário de recessão mundial, que os analistas desenham.

Fonte: Conab

Conjuntura do mercado internacional da soja

Os preços na Bolsa de Valores de Chicago (CBOT) fecham com a média semanal com baixa de -3,50%. Nesta semana, a expectativa é que a safra americana seja cheia, afetando negativamente os preços internacionais. Além disto, a safra brasileira pode chegar a mais de 150 milhões de toneladas, dando continuação a sessões de baixa em Chicago.

A tendência é que os preços internacionais continuem orientados pelos problemas de adversidades climáticas nos Estados Unidos, e as altas e baixas das últimas semanas devem continuar até que a safra 2022/23 norte-americana esteja estabelecida.

Fonte: Conab

Conjuntura do mercado internacional do trigo

No mercado internacional, por mais uma semana, as cotações apresentaram valorizações diante de um cenário de forte demanda internacional, maior procura por trigo norte-americano, incertezas no Mar Negro diante da continuidade dos conflitos e acompanhando o movimento observado em outras commodities (milho e soja). A média semanal ficou em US$ 397,58/ton, apresentando valorização semanal de 4,1%.

Fonte: Conab

Indicadores Cepea – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada

Soja

Os valores do complexo soja caíram no mercado brasileiro na semana passada. Segundo pesquisadores do Cepea, a pressão veio dos recuos externos da oleaginosa. A valorização do dólar, porém, limitou o movimento baixista no Brasil. Nos Estados Unidos, a proximidade da entrada da safra 2022/23, que deve ser recorde, e o avanço do dólar frente a uma cesta de moedas, o que torna o produto norte-americano menos atrativo aos importadores, pressionaram os contratos futuros da soja. Quanto às exportações brasileiras, em agosto, somaram 6,16 milhões de toneladas, segundo dados da Secex. Esta quantidade ficou 18% abaixo da escoada em julho e 5% abaixo da de agosto/21.

Milho

Os preços do milho seguem firmes na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea, mas as negociações estão lentas. Vendedores brasileiros, atentos ao cenário internacional, limitam as ofertas no spot, à espera de novas altas nos valores. Do lado comprador, agentes sinalizam dificuldade em realizar novas aquisições. No campo, a colheita da segunda safra se aproxima do fim e as atividades envolvendo a semeadura da temporada de verão 2022/23 têm sido favorecidas pelo clima.

Algodão

As negociações envolvendo algodão em pluma estão lentas e os preços, em queda. De acordo com pesquisadores do Cepea, atentos à desvalorização externa, parte dos vendedores está mais flexível nos preços de negociação, sobretudo as tradings. Outros, especialmente cotonicultores, estão focados na entrega de contratos a termo, se mostrando capitalizados e sem necessidade imediata de venda no spot. Compradores, por sua vez, estão afastados do mercado, indicando ter bom volume em estoque e/ou pluma a ser recebida de contratos.

Trigo

Os preços do trigo seguem em baixa no Brasil, sobretudo no mercado de balcão (valor recebido pelo produtor). Segundo pesquisadores do Cepea, o movimento de baixa é influenciado pela colheita da nova safra e pela demanda enfraquecida por parte de moinhos, que estão com a moagem em ritmo mais lento. Estes agentes compradores estão no aguardo de novas reduções nos valores do cereal, fundamentados na proximidade da intensificação da colheita. Por enquanto, as atividades de campo estão no início no Paraná e ainda não foram iniciadas no Rio Grande do Sul. Assim, as negociações estão ocorrendo de forma pontual. Quanto aos preços, levantamento do Cepea mostra que, entre 29 de agosto e 5 de setembro, o preço médio do trigo no Paraná recuou 5,8%, passando para R$ 1.800,94/tonelada nessa segunda-feira, 5. No Rio Grande do Sul, a baixa foi de 2,5% no mesmo período, passando para R$ 1.814,27/tonelada.

Etanol

As desvalorizações do etanol hidratado foram diárias no mercado spot do estado de São Paulo ao longo da semana passada. Do lado da demanda, agentes de distribuidoras adquiriram pouca quantidade no spot. Vendedores, por sua vez, seguiram com pouco sucesso em aumentar o volume negociado, mesmo diante da sequência de queda dos preços. Entre 29 de agosto e 2 de setembro, o Indicador CEPEA/ESALQ semanal do etanol hidratado fechou a R$ 2,3134/litro (líquido de ICMS e PIS/Cofins – alíquota zerada), baixa de 4,14% frente ao período anterior, e para o etanol anidro foi de R$ 2,8778/litro (líquido de impostos – PIS/Cofins, alíquota zerada), queda de 1,09%.

Boi

A cotação do boi gordo tem oscilado entre 1,5 e 4% nos últimos cinco dias. No dia 08/09/2022, fechou em R$ 307,00/@ (CEPEA/B3).

CLIMA

Previsão de chuva

Previsão de chuva – De 6 a 12 de setembro de 2022

De acordo com o modelo numérico do INMET, os maiores acumulados estão previstos para as regiões Norte e Sul do País.

Região Norte

São previstas chuvas significativas que podem superar 60 mm no norte amazonense e sul de Roraima. No norte de Roraima e sul do Amazonas, são previstos acumulados de chuva abaixo de 20 mm. Em Tocantins e Acre, não estão previstos acumulados de chuva e, nas demais áreas, os acumulados de chuva poderão ser inferiores a 10 mm.

Região Nordeste

Não são previstos volumes de chuva. Entretanto, na costa leste, o tempo seguirá instável com acumulados que poderão ultrapassar 10 mm. No extremo sul da Bahia, são previstas pancadas de chuva de forma isolada, com valores abaixo de 20 mm.

Região Centro-Oeste e Região Sudeste

A predominância de uma massa de ar seco durante a semana não irá favorecer a formação de nuvens de chuva. Entretanto, no sudeste de São Paulo, o tempo ficará mais instável principalmente no dia 7/09, devido a presença de áreas de instabilidade que se deslocam em direção ao Estado, com volumes de chuvas que poderão chegar aos 60 mm.

Região Sul

Áreas de instabilidade deixarão o tempo mais instável e provocarão a ocorrência de acumulados de chuva, que poderão ultrapassar os 60 mm no nordeste do Paraná e norte de Santa Catarina. No extremo sul do Rio Grande do Sul, os acumulados de chuva poderão chegar a 40 mm.

Figura 1. Previsão de chuva para 1ª semana (06 a 12/09/2022). Fonte: INMET.

 

Previsão de chuva – De 13 a 20 de setembro de 2022

De acordo com o modelo de previsão numérica GFS, a semana poderá apresentar volumes de chuva significativos no oeste da Região Norte e em áreas das regiões Centro-oeste, Sul e Sudeste.

Região Norte

São previstos acumulados entre 70 e 80 mm no oeste do Amazonas e Acre. Nas demais áreas, os acumulados de chuva previstos não deverão ultrapassar os 30 mm.

Região Nordeste

São previstos acumulados de chuva que podem ultrapassar 15 mm na costa leste da região. Nas demais áreas, não há previsão de chuva.

Região Centro-Oeste e Sudeste

Podem ocorrer baixos volumes de chuva, abaixo de 20 mm em praticamente toda a região, exceto em áreas do Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro, onde há previsão de pancadas de chuvas que poderão chegar a 120 mm. Enquanto no sul dos Estados do Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e Espírito Santo, a previsão é de chuvas isoladas que poderão chegar a 40 mm.

Região Sul

Estão previstos acumulados de chuva, podendo ultrapassar os 90 mm, principalmente no Paraná e norte de Santa Catarina. Nas demais áreas, as chuvas não deverão ultrapassar 40 mm.

Figura 2. Previsão de chuva para 2ª semana (13 a 20/09/2022). Fonte: GFS.

CURSOS E EVENTOS

Selecionamos uma série de eventos importantes no mundo Agro e que podem interessar você. Todos online!

Cultivo do algodoeiro em sistemas orgânicos no semiárido

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição: Clique aqui

 

IrrigaFácil: uso e manejo de irrigação

Instituição promotora: Embrapa

Data: 11/07 a 19/08/22

Inscrição: Clique aqui

 

Controle biológico: enfoque em manejo de lagartas com bioinseticidas

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição: Clique aqui

 

Qualifica Mulher

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição: Clique aqui

 

Medidas de Prevenção, Monitoramento e Controle da Vespa-da-Madeira

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição:Clique aqui

 

RENIVA – Introdução às estratégias de produção de materiais de plantio de mandioca

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição:Clique aqui

 

Apicultura para Iniciantes

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição:Clique aqui

 

Produção e Tecnologia de Sementes e Mudas

Instituição promotora: Embrapa

Data: 17/02/22 a 31/12/22

Inscrição:Clique aqui

 

Produção de mudas de cajueiro – enxertia

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição:Clique aqui

 

Viticultura Tropical no Semiárido

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição: Clique aqui

 

Apicultura para Iniciantes

Instituição promotora: Embrapa

Data: Contínuo

Inscrição: Clique aqui

 

Se inscreva na nossa Newsletter gratuita

Espaço para parceiros do Agro aqui

Tags: Abrapa, Adubação, Agricultura 4.0, algodão, Bioinsumos, Carne Bovina, Cepea, clima, Conab, Cultivar, embrapa, INMET, Mapa, milho, soja, Startups, trigo, Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc)

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
LinkedIn
YouTube
Instagram